escola.abandonoNo interior fecham escolas e tribunais, na cidade ensaia-se, volta não volta, o discurso do povoamento do interior. A cena repete-se, uma e outra vez, num cenário de ‘Portugal sentado’ onde os protagonistas não mexem nem saem de cena.

Num país onde dez salários mínimos (4.800 euros líquidos) "não permitem ter padrões de vida muito elevados em Lisboa" (afirma Marinho Pinto, ainda eurodeputado mas que ambiciona concorrer a deputado em Portugal), vive-se na ilusão de que tudo vai mal.

Mas não, na realidade, vai tudo ainda pior…

"Frente a uma situação difícil, o Português opta pela espera de um milagre ou pela descompressão de uma anedota. O grave disto é que o milagre não vem e a anedota descomprime de tudo. Ficamos assim à mercê do azar e nem restos de razão para mexer um dedo." - Conta-Corrente 2 | Vergílio Ferreira

Das escolas

Monsanto estreou uma nova escola primária. Custou, a requalificação do edifício, cerca de 100 mil euros e funcionou durante uma semana. O Ministério da Educação e Ciência alega que só com 11 alunos (além dos 18 do Jardim de Infância) não há condições pedagógicas. E manda a pedagogia que, para aprender a ler, a criançada se meta à estrada para uma viagem diária de cerca de 50 quilómetros. Sorte a deles, que os avós nem por lá passaram e os poucos que foram à escola fizeram o percurso a pé.

Do Desemprego

Estatisticamente de vento em popa, o desemprego cai, trimestre a trimestre. Dentro de pouco tempo, o problema dos portugueses será escolher onde quer trabalhar. Entretanto, a realidade é outra. Atente aqui, num apontamento de reportagem da Televisão do Sul, a reacção de um homem que respondeu a um anúncio de emprego, foi selecionado, e no final viu o lugar ocupado por outro.

Da Justiça

O novo mapa judiciário, a bandeira da ministra reformadora da Justiça, deixou juízes, funcionários e advogados em estado de pânico. A plataforma informática CITIUS bloqueou, chegou ao ‘grau zero’, e retoma lentamente sem que se perceba quando voltará a funcionar em pleno. Mas, apesar de tudo, há tribunais encerrados no interior…

Da iniciativa

Também há retratos de felicidade… Ricardo carregava malas no aeroporto de Faro para ganhar a vida. Uma vida que não lhe permitia terminar o curso no Instituto Superior Técnico, em Lisboa. Mas, porque acreditou, foi (e é) um caso de sucesso. Um único senão, o sucesso foi conquistado fora daqui, em Estocolmo, na Spotify, serviço de música online com 40 milhões de utilizadores. Segundo a reportagem da RR, nunca mais parou e hoje, com 27 anos, é um dos elementos do departamento de expansão da empresa.

Os retratos são tristes, é certo, mas o defeito é mesmo do retratista.

CarlosTrigo

Carlos Trigo

 

 

Pin It