Em declarações à Agência Lusa a propósito do trágico acidente verificado na estrada municipal 255 que colapsou por entre pedreiras, provocando, ao que tudo indica, cinco vítimas mortais, Nuno Gonçalves, dirigente nacional da Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro (FEVICCOM) considerou esta quarta-feira que a “tragédia” ocorrida em Borba evidencia a “inércia” das entidades com “poderes de fiscalização” na área das pedreiras.

“Esta tragédia traz à evidência um conjunto de inquietações e uma inércia dos serviços de fiscalização, de quem tem poderes de fiscalização nesta matéria”, afirmou aquele nacional da FEVICCOM para quem são “várias as entidades fiscalizadoras” em causa, “nomeadamente a ASAE [Autoridade de Segurança Alimentar e Económica], a inspeção-geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT) e a ACT [Autoridade para as Condições do Trabalho]”.

Nuno Gonçalves não se coibiu mesmo em afirmar que em relação ao acidente agora ocorrido em Borba, no distrito de Évora, que classificou como “uma tragédia” existem “responsabilidades por parte das entidades licenciadoras” que, mesmo atendendo à “legislação do ano em que se iniciou a exploração daquelas pedreiras” atingidas pelo deslizamento de terra e do colapso da estrada, ou seja, “anterior à lei de 1990”, poderiam ter obrigado “a tomar medidas de salvaguarda da segurança de trabalhadores e de terceiros”.

Pedreira Borba 02

Apenas uma vítimas retirada do local até agora

Das cinco vítimas que este acidente terá provocado, apenas foi resgatado ontem, terça-feira, o corpo de Gualdino Pita, um dos dois trabalhadores que morreram na derrocada, ele que estava acompanhado de João Xavier, de 58 anos, de Pardais, Vila Viçosa, trabalhadores da pedreira que ficaram encarcerados na escavadora que estava a trabalhar na segunda-feira no momento da derrocada. Entretanto, a GNR confirmou os dois mortos, mas também três homens desaparecidos.

Continuaram entretanto esta quarta-feira os trabalhos para o resgate do corpo da segunda vítima mortal confirmada, algo que não foi possível mesmo com a presença de mergulhadores que foram ao fundo do poço da pedreira acidentada, num trabalho complicado por se tratar de um terreno "instável". Entretanto, e segundo uma fonte da GNR no local, estão dados como desaparecidos desde segunda-feira dois homens residentes em Bencatel, concelho de Vila Viçosa, e um idoso de Alandroal, com as autoridades a admitir terem sido vítimas do deslizamento de terras para a pedreira.

©LusoNoticias

Pedreira Borba 03

Pin It