Com o Salão Preto e Prata do Casino Estoril lotado, o alemão Thomas Anders subiu ao palco em nome próprio para permitir recordar os Modern Talking, banda que nos anos oitenta colocou a dançar toda uma geração ao som de temas como “You're my heart, you're may soul”, “Brother Louie” ou “Cheri Cheri Lady”. Agora sem a companhia do louro Dieter Bohen, e aparentemente sem qualquer possibilidade de se juntarem de novo em palco para um efectivo ressuscitar dos Modern Talking, Thomas Anders veio a Portugal para cantar pela primeira vez, ele que apenas passou pelo nosso país uma vez quando a sua banda estava no auge da popularidade, e então para gravar um vídeoclipe.

Agora sem a companhia de Dieter Bohen, Anders pôde assim estrear-se perante o público português que o acolheu com enorme entusiasmo e uma empatia assinalável. Num concerto em que aqui e ali ficava a ideia de estarmos perante um playback parcial e com pouca qualidade (quando Thomas Anders tentava os falsetes ficava sempre a ideia de que alguém te tinha desligado o microfone para que a sua voz não traísse a essência dos temas incónicos da banda), a verdade é que o cantor germânico, agradecendo ao público com vários “obrigados” ditos na língua de Camões, facilmente agarrou o público gerando uma empatia assinalável que durou todo o concerto.

Apresentando uma mistura de músicas suas com alguns sucessos dos Modern Talking, nomeadamente “You’re my heart, you’re my soul”, canção que confessa ter mudado a sua vida — “Sem ela eu não teria a carreira que tenho.” —, Thomas Anders apresentou-se em palco sempre com um enorme sorriso, ao estilo do melhor espectáculo de um qualquer casino de Los Angeles, justificando o que afirmou horas antes do espectáculo aos diversos meios de Comunicação Social que dialogaram com ele ao longo da tarde de sexta-feira, a quem disse amar o que faz.

Entrando em palco com “Atlantic is calling”, Thomas Anders foi apresentando os vários temas do alinhamento do espectáculo, uns mais conhecidos do que outros, levando o público em crescendo no entusiasmo que terá impressionado o próprio artista germânico. "Love is in the air” colocou o público do Salão Preto e Prata de pé e a dançar, prosseguindo o espectáculo com enorme energia até ao incontornável “Brother Louie”, avançando para um “encore” que os fãs dos Modern Talking dificilmente irão esquecer, com temas como os já referidos “You're my heart, you're may soul” e “Cheri Cheri Lady” que ainda hoje fazem bater o pé ao seu ritmo e que permitiram a saída do palco em glória a Thomas Anders.

Naquela que foi a actuação de estreia do músico germânico em Portugal, três décadas passadas sobre os momentos de maior sucesso dos Modern Talking em Portugal, Thomas Anders terá ficado convencido de que poderá regressar quando quiser pois o seu sucesso granjeou fãs também neste cantinho à beira-mar plantado que é Portugal.

reportagem: Jorge Reis

Pin It