A nona edição do Misty Fest já se encontra a percorrer Portugal desde o dia 31 de Outubro, um festival promovido uma vez mais pela Uguru que lança esta 9ª edição de um festival de sucesso com marca já vencedora no panorama musical. Ontem, houve a oportunidade de ouvir o cantautor australiano Scott Matthew, já conhecido em Portugal onde chegou pela mão de Rodrigo Leão, tendo Scott Matthew apresentado o seu mais recente trabalho “Ode to Others”, em que, nas palavras do cantor, deixaria as suas canções de “desamor” dando um tom diferente em jeito de dedicatórias a pessoas e lugares.

“É o primeiro álbum que escrevo que não se prende com o amor romântico. Apesar de haver um certo ar de romance no disco, não está ligado de forma alguma ao meu amor romântico pessoal. É acerca de pessoas e de lugares que não se relacionam com a minha dor romântica mais imediata”, esclareceu o cantor.

As dedicatórias são várias, desde uma música ao seu Pai, a um homem fictício do seu imaginário que atravessa o deserto fugindo da guerra, ao seu país actual, a América, ao seu país natal, Austrália, dedicatórias feitas entre uns golos de vinho e muitas frases cómicas e gargalhadas soltas em uma noite em que Scott Matthew brilhou no palco do Tivoli BBVA.

The Wish é um tema que Scott dedica aos que morreram em 2016, em Orlando (ataque a um bar gay que provocou 50 mortos em Orlando, nos EUA), um tema que o artista compôs no dia seguinte ao massacre. Depois, sem esquecer em jeito de homenagem o seu Tio Paul, que infelizmente não conheceu mas que paar ele também compôs uma música... o seu tio emigrante, gay, que na sua chegada à Austrália não aguentou as pressões da sociedade acabando por se suicidar.

E se de início nos preparávamos para menos melancolia, promessa do autor, a verdade é que esta não foi cumprida... e ainda bem!

Scott Matthew já nos conquistou exatamente pelo seu jeito melancólico que não deixa ninguém indiferente e desta vez, pelo meio, ainda teve tempo para alguns covers — “Do you really want to hurt me”, dos Culture Club, “I Wanna Dance With Somebody”, de Whitney Houston, e “Flame Trees” da banda Cold Chisel.

Acompanhado de Jurgen Stark, o guitarrista que normalmente o acompanha ao vivo, entre outros dois membros, Ode to Others reinventa-se nos temas em termos melódicos e harmónicos, permitindo levar a actuação até ao final da noite, com duas músicas de encore que nos encheram a alma! 

Como nota de reportagem, a referência para a presença discreta na plateia do “Mestre”... Rodrigo Leão.

Pelo meio do diálogo com o público, Scott Matthew confessa que não percebe porque ainda reside em Nova Iorque… quem sabe se… um dia...!

reportagem: Ana Cristina Augusto

Pin It