Os Roupa Nova, banda musical brasileira responsável por êxitos como “Dona”, que os portugueses conheceram a partir da telenovela “Roque Santeiro”, e “Linda Demais”, passaram por Portugal no passado mês de Setembro, com um concerto no Coliseu do Porto, a 20 de setembro, e mais duas actuações em Lisboa, a 21 do mesmo mês no Campo Pequeno, e no dia seguinte no Coliseu dos Recreios, espectáculos que esgotaram todos eles e que deram conta da pujança de uma banda com 40 anos de carreira, responsável por um percurso de sucesso marcado por temas como “Volta P’ra Mim”, “Whisky a Go Go” ou “A Força do Amor”, e que veio agora passar por Lisboa na apresentação em Portugal do seu mais recente álbum, "Todo Amor do Mundo", o 38º da banda.

Paulinho (voz e percussão), Serginho Herval (bateria e voz), Nando (baixo e voz), Felipe Milanio (guitarra), este um elemento "pontual" da banda, sobrinho do "titular" Kiko Pereira que não viajou para Portugal por estar a recuperar de uma intervenção cirúrgica a que foi submetido no passado dia 15 de Agosto, e ainda Ricardo Feghali (piano, teclado, guitarra, violão e voz) e Cleberson Horsth (piano, teclado e voz), foram os elementos que subiram aos palcos portugueses por onde passaram, nomeadamente o do Campo Pequeno onde o LusoCultura, o canal de Cultura do portal LusoNotícias, acompanhou a prestação dos Roupa Nova.

A celebração de 40 anos de carreira permitiu assim espectáculos plenos de emoções e temas de sucesso, acompanhados por um público conhecedor e fã que nunca regateou aplausos, nomeadamente as fãs que mostraram sempre conhecer a preceito as letras (e as melodias) das músicas dos Roupa Nova, nomeadamente na noite deste dia 21 de Setembro no Campo Pequeno, mas ao que pudemos apurar também no dia seguinte no Coliseu dos Recreios e antes no Coliseu do Porto.

“Todo Amor do Mundo”, o mais recente trabalho do grupo que reúne um livro, dois discos e um DVD, tudo junto a celebrar os já referidos 40 anos de carreira (com 37 álbuns lançados), deu o mote para estes concertos, onde Paulinho, Serginho Herval, Nando, Ricardo Feghali, Cleberson Horsth e Felipe Milanio no lugar de Kiko Pereira, procuraram relembrar todos os seus sucessos, desde “Dona” a “Coração Pirata”. Como nota menos positiva, quanto a nós, a aposta feita porventura em excesso na passagem por cima de alguns temas incontornáveis da música rock internacional, podendo deixar a ideia de serem os Roupa Nova uma banda de covers o que não é de todo verdade já que tem uma produção própria capaz de sustentar por si só um excelente espectáculo que, ainda assim, não deixou de o ser.

Uma nota final para Luis Cruz, músico português que esteve responsável pela primeira parte dos espectáculos dos Roupa Nova e que deu conta de possuir boa qualidade musical, mas também alguma timidez e nervosismo em palco que resultaram uma prestação discreta que terá passado despercebida aos olhos (e ouvidos) de quem acompanhou estas três noites de música em Lisboa e Porto. Quanto aos Roupa Nova... voltem e lá estaremos de novo!

reportagem: Jorge Reis

O jovem Luiz Cruz foi o músico responsável pela primeira parte dos concertos dos Ropa Nova

Pin It