×

Mensagem

Failed loading XML...

Com uma actuação simplesmente b-r-u-t-a-l, os The Black Mamba garantiram na última quinta-feira, 2 de Agosto mais um grande espectáculo integrado no ciclo dos “Grandes Concertos do Casino Estoril”. Tatanka, vocalista da banda, abriu o espectáculo com um pedido ao público — “We always love Estoril! so, people, let’s make some noise” —, e assim foi. Ao pedido “façam barulho”, no espectáculo iniciado após as 23h30, o som invadiu o Lounge D do Casino do Estoril, numa mistura “quase alucinante” de mestria do grupo, sempre bem disposto, sempre interagindo com o público, sempre apelando à participação com letras, aplausos e convites a estar em pé e dançar.

Entre o idioma de Shakespeare, e o português de Camões, Tatanka foi comunicando com o público, anunciando o próximo trabalho da banda que está previsto sair no dia 19 de Outubro do qual o single “It ain’t you stronger” já se encontra disponível. E se pensámos que a noite ia resumir-se à prestação dos The Black Mamba estávamos enganados, isto porque as surpresas surgiram rapidamente através de várias presenças em palco, desde os Azeitonas a Silk (dos Cais Sodré Funk Connection) e Diana Martinez, que vieram animar ainda mais a noite que já estava ao rubro.

Do alinhamento musical da noite constaram os temas “Intro Mamba King”, “Slow it down”, “Give it up”, “It ain’t you stronger”, “Medley soul”, “Save my day”, “Efeito do observador” e “Fadinho”, aqui a verificar-se um dos momentos altos (e bonitos) da noite com este “Fadinho” a ser usado como homenagem dos The Black Mamba mas também dos Azeitonas em memória da fadista Celeste Rodrigues, falecida na véspera deste concerto aos 95 anos. A actuação dos The Black Mamba estava no entanto longo do fim e prosseguiu ainda com outros temas como “I’ll meet you there”, “Funk N’Drunk”, “Under your skin” e “Put your love in me”, havendo ainda tempo para o encore com “Wonder Why”.

Pelo meio daquele alinhamento, com uma energia aparentemente inesgotável e perante uma noite quente, Tatanka lançou uma confissão — “Porra que está imenso calor... Apetece-me despir” —, a qual provocou de imediato um enorme aplauso do público a quem Tatanka rapidamente respondeu: “não sei se será muito boa ideia”. Esquecendo ali a intenção de se despir, preferiu à audiência que alguém lhe oferecesse um cigarro porque estava a precisar de “desintoxicar o pulmão”, e rapidamente surgiu um voluntário de braço estendido com um cigarro para lhe oferecer.

Tatanka agradeceu, e voltaria a agradecer de uma forma mais carinhosa quando, no final do espectáculo, passeou junto do público para agradecer o carinho com que a sua banda ali foi recebida. Em jeito de desafio, os The Black Mamba deixaram ainda um convite para que todos os presentes possam visitar, comentar e partilhar as suas páginas nas redes sociais, nomeadamente no Facebook mas também no Instagram, criando a partir dali uma ponte permanente para o público.

Ainda a propósito dos The Black Mamba, estamos perante uma banda que surgiu em Maio de 2010, com a junção de Pedro Tatanka e Miguel Casais. "The Black Mamba", nome que baptiza a banda e o disco de estreia, foi a inspiração encontrada para em conjunto provarem do seu próprio veneno, com a química e a experiência destes grandes músicos, embaixadores de reconhecidos projectos nos países de origem, nomeadamente Portugal (Aurea, Richie Campbell) e Brasil (Ed Motta, Gabriel o Pensador, Banda Black Rio), permitindo percorrer o universo do blues, soul e funk, numa adaptação ao seu habitat natural.

A verdade é que em tempo recorde encontraram o seu lugar e instintivamente partiram rumo à internacionalização, e em pouco mais de um ano, naquela que marcou a tour de estreia, carimbaram passagem por Londres, Filadélfia, Luanda, Madrid, Sevilha, encerrando 2013 no Brasil com chave de ouro. Que o diga o público do Rock In Rio 2013, no Rio de Janeiro, e do Bourbon Street Music Club (São Paulo) que em sintonia com os media receberam o projecto de braços abertos.

O ano de 2014 arranca com a continuação do trabalho em estúdio com o objectivo de concluir o segundo álbum de originais, produzido entre Lisboa, cidade natal, e Nova Iorque, mais propriamente n'O Lab Studio no coração de Brooklyn, assistidos pelo engenheiro de som Scott Anderson. Enquanto isso, "I´ll meet you there", terceiro single do primeiro trabalho, revela-se como um dos temas com maior "air play" nas rádios portuguesas, que em conjunto com "It ain´t you", termina 2013 no Top 100 do iTunes do país, nas posições 72 e 73.

Agora, sobre o que se passou nesta noite quente do Lounge D do Casino Estoril, também nós ficámos rendidos à actuação dos The Black Mamba, agradecendo pela magia das boas energias que partilharem e que nos deixou de alma cheia.

texto: Ana Cristina Augusto
fotos: ©Casino Estoril

Pin It