“Gosto de ser mulher! Gosto de ter 61 anos com cara de 60!” Assim, sempre com um enorme sorriso no rosto e dando conta do agradecimento manifestado ao público português e em particular ao público do Casino do Estoril pela forma como sempre a acolheu, Fafá de Belém assinalou no passado sábado, 16 de Junho, no Salão Preto e Prata daquele Casino, os 32 anos de carreira marcados com cunho lusitano.

Com efeito, foi há 32 anos que Fafá de Belém teve a sua estreia no Casino do Estoril, uma sala e um espaço que, segundo a própria artista, ela viu crescer, nomeadamente aquele “imenso e belíssimo Salão Preto e Prata” onde orgulhosamente se apresentou agora de novo, no passado dia 16, mais de três décadas decorridas sobre a estreia.

Este concerto de Fafá de Belém, que o canal de Cultura do portal LusoNotícias pôde acompanhar, assinalou ainda os 43 anos de carreira da artista. Em palco, Fáfá apresentou-se num magnifico vestido comprido de lantejoulas prateado, exibindo um corte rodado que a artista não se inbiu de exibir rodando e cantando, sempre a pedir ao público que batesse palmas em festa com as suas cantigas de sempre.

O alinhamento do concerto trouxe-nos memórias, tristeza, alegria e saudades muitas através das canções como “Filho da Bahia”, “Pauapixuna”, “Raça” ou “Memórias”, mas também “Cavalgada”, “Coração do Agreste” ou o bem português “Fado Tropical”. Quanto a outros temas, Fafá interpretou também “Pirilampo”, “Mas que nada”, “Vem que é bom”, “Asfalto Amarelo”, “Quem não te quer sou eu”, “Meu coração é brega” ou “É o amor/Trenzinho do caipira”.

Nuvel de Lágrimas”, “Conexão Amazônia”, “Verequete”, “Sinhá pureza/Viado caçador”, ainda o tema “Vermelho”, “Abandonada” e “Todas as formas de amor”, foram os temas que completaram o alinhamento, num magnifico espectáculo em que Fafá de Belém partilhou com todos aqueles que quase preencheram os lugares possíveis no Salão Preto e Prata o seu carinho com Portugal, deixando a sua convicção, em tempo de Mundial de futebol, que no dia em que Portugal possa vir a jogar com o Brasil a opção de Fafá será... ir ao cinema!

Assume-se com 61 anos mas cara de 60, mostrando-se sincera e espontânea, sempre brega ao fim de todos estes anos, como ela própria afirmou, de sorriso sempre aberto e de gargalhada fácil e contagiante, enchendo o coração de todos os que a ouviram.

A meio do espectáculo ainda houve tempo para Fafá de Belém trocar de vestido, voltando com um modelo preto rodado com “uns laivos” de vermelho e amarelo e decote generoso, bem caracteristico da artista.

Ao jeito desse vestido, muitos outros vestidos que a artista usou em inúmeros espectáculos no Casino foram expostos antes deste espectáculo no hall principal do Casino do Estoril, como forma de homenagem a três décadas de ligação a Portugal, uma exposição que a cantora preparou com vestidos seus, usados em atuações anteriores, bem como roupas assinadas por estilistas como André Lima, Zé Carlos e Markito, sempre a apelar às recordações de uma ligação de Fáfá que sente também como seu.

Ao longo do espectáculo, as memórias foram também ajudadas com a exibição de fotografias de outras actuações de Fáfá perante o público português, onde até imagens de participações da artista em campanhas eleitorais foram exibidas, com Fafá de Belém junto do antigo Presidente da República, Mário Soares, na caminhada deste... para Belém.

No final, os aplausos do público voltaram a fazer-se ouvir para Fafá de Belém, deixando a certeza de que esta não foi uma despedida o que nos leva a uma afirmação: “Obrigada Fafá de Belém e até já!”

texto: Ana Cristina Augusto
fotos: Jorge Reis

Pin It