×

Mensagem

Failed loading XML...

EduardoLourenco2Em cerimónia solene, com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, será entregue no próximo dia 18 de Maio o primeiro Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural ao escritor e ensaísta Eduardo Lourenço, em sessão marcada para as 18 horas no Auditório do Casino Estoril.

Instituído pela Estoril Sol, em parceria com a Editora Babel, o Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural, com periodicidade anual e no valor de 40 mil euros, foi criado em homenagem à memória de Vasco Graça Moura. Nesta primeira edição o Prémio foi atribuído, por unanimidade do Júri, a Eduardo Lourenço, tendo o vencedor sido anunciado no passado dia 3 de Janeiro, precisamente na data em que Vasco Graça Moura celebraria o seu aniversário.

Da acta do Júri, presidido por Guilherme d`Oliveira Martins, ressalta que depois de apreciados os nomes das várias candidaturas propostas, Eduardo Lourenço recolheu a unanimidade em função do “percurso intelectual do premiado” que “corresponde inteiramente aos objetivos definidos aquando da criação deste Prémio”. “Trata-se de uma personalidade multifacetada — pode ler-se na acta do Júri — que se singulariza pela coerência entre um pensamento independente e aberto e uma permanente atenção à sociedade portuguesa, à sua cultura, numa perspetiva universalista, avultando a reflexão sobre uma Europa aberta ao mundo e nunca fechada numa qualquer fortaleza encerrada no egoísmo e no preconceito. Em tempos de incerteza trata-se de uma voz de esperança, que apela ao diálogo e à paz, com salvaguarda da liberdade de consciência e do sentido crítico. A sua heterodoxia mantem-se viva e atual em nome do compromisso cívico com a liberdade e a responsabilidade solidária”.

“Acresce que Vasco Graça Moura — recordam ainda os membros do Júri — manifestou em diversas circunstâncias expressamente a sua admiração pela personalidade de Eduardo Lourenço como intelectual e cidadão, em especial quando foi o principal promotor da candidatura vencedora do ensaísta ao Prémio Europeu de Ensaio Charles Veillon (1988), a propósito da publicação de «Nós e a Europa ou as duas razões». O reconhecimento de uma personalidade largamente consagrada constitui assim e também uma homenagem a Vasco Graça Moura, que tanto apreciava a obra e a pessoa de Eduardo Lourenço”.

O Júri que atribuiu o Prémio Vasco Graça Moura, além de Guilherme D`Oliveira Martins, foi integrado por Maria Alzira Seixo, José Manuel Mendes, Manuel Frias Martins, Maria Carlos Gil Loureiro, Liberto Cruz e ainda por José Carlos Seabra Pereira, em representação da Babel e Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, pela Estoril Sol.

EduardoLourenco1

Pin It