×

Mensagem

Failed loading XML... Entity 'ccedil' not defined Entity 'otilde' not defined Entity 'aacute' not defined Entity 'eacute' not defined Entity 'laquo' not defined Entity 'ecirc' not defined Entity 'raquo' not defined Entity 'ecirc' not defined

No regresso de Cristiano Ronaldo à Selecção Nacional, para aquele que foi o primeiro jogo de Portugal na fase de qualificação em direcção à fase final do Euro'2020, a Turma das Quinas não conseguiu mais do que um empate sem golos frente à Ucrânia, no Estádio da Luz. Depois de 90 minutos em que os portugueses até foram superiores, perante um adversário que ainda teve tempo para assustar os seleccionados de Fernando Santos, prevaleceu o empate no arranque de uma caminhada em que a Nossa Selecção irá procurar defender o título conquistado em Paris em 2016.

O seleccionador nacional, que apostou num "onze" conservador de acordo com esquemas de outras eras, deixando no banco elementos como Dyego Sousa ou João Félix para optar pelos “inconsequente” Rúben Neves ou André Silva, acabaria ainda assim por recorrer no segundo tempo ao avançado luso-brasileiro do Sporting de Braga, que deste modo garantiu a sua primeira internacionalização quando se procurou municiar a Selecção com mais poder de fogo. Porém, nem com o melhor marcador português da I Liga se chegou ao golo na baliza da Ucrânia, onde brilhou sempre o guarda-redes Pyatov, grande responsável pelo “nulo” com que se chegou ao final do jogo.

Com Rui Patrício na baliza, e um quarteto defensivo formado por João Cancelo, Pepe, Rúben Dias e Raphael Guerreiro, o seleccionador Fernando Santos completou o "onze" inicial com William Carvalho, Rúben Neves e Moutinho no meio-campo, fazendo aparecer na frente Cristiano Ronaldo, Bernardo Silva e André Silva para um evidente 4x3x3. Com este esquema, o jogo fluiu quase sempre pelo corredor direito, mas encontrou aí um João Cancelo desta feita menos eficaz nos cruzamento, ressentindo-se disso a produtividade da Turma das Quinas. Porventura consciente desta falha, Fernando Santos chamou então Rafa para o lado esquerdo por troca com Rúben Neves, passando então a Selecção a mostrar um 4x4x2, esquema que estranhamente não impediu que a Selecção lusa continuasse “inclinada à direita”.

Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva continuavam lá na frente a fazer tudo para chegar ao golo, mas surgia por esta altura algum receio de assumir o jogo, com a Selecção a apostar em passes e lateralizações a mais e tentativas de remates a mais. Por outro lado, sempre que os remates surgiram, o guarda-redes Pyatov apareceu no sítio certo impedindo o golo para as cores nacionais.

Fernando Santos continuou a mexer no conjunto nacional, chamou o já referido Dyego Sousa para o lugar de André Silva ao minuto 76, e ao minuto 86, com João Félix ou Diogo Jota no banco, preferiu apostar no equilíbrio e chamar João Mário para o lugar de Moutinho, numa troca directa, sem que daí a Selecção conseguisse retirar qualquer proveito desta alteração. Por esta altura, no Estádio da Luz, pairava a recordação de algumas substituições, quase “mornas” ou nem isso, impostas na equipa do Benfica ainda nos tempos em que por ali deu ordens o então técnico Rui Vitória.

O certo é que Portugal não marcou e ainda passou por um enorme susto quando um luso-brasileiro também neste jogo a assinar a sua primeira internacionalização, mas pela Ucrânia, o avançado Júnior Moraes, que entretanto entrara para o lugar de Yaremchuck, só não marcou na sua estreia porque Rúben Dias impediu o golo ucraniano ao meter o pé no momento certo, desviando a bola pela linha de fundo.

O árbitro Clément Turpin deu mais quatro minutos, mas Portugal seria incapaz de marcar, acabando o jogo por terminar com um empate e Portugal a perder os primeiros dois pontos na caminhada para a fase final do Europeu de futebol de 2020. Portugal volta a jogar já na próxima segunda-feira, uma vez mais no Estádio da Luz, desta vez frente à Sérvia.

Entretanto, no outro jogo do grupo de Portugal realizado esta quinta-feira, entre o Luxemburgo e a Lituânia, o seleccionado luxemburguês venceu por 2-1, sendo para já o líder do grupo B com três pontos, à frente de Portugal e da Ucrânia com um ponto, e ainda da Lituânia e da Sérvia com zero pontos, ainda que esta última selecção não tenha ainda qualquer jogo. Na segunda-feira, e para além do Portugal-Sérvia, Também o Luxemburgo voltará a jogar no seu terreno, recebendo a Ucrânia, em ambos os casos a partir das 19h45.

texto: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira

Pin It