Com um triunfo categórico com goleada por 4-0 sobre os holandeses do PSV Eindhoven, o Sporting garantiu esta quinta-feira, em Alvalade, o apuramento para os dezasseis avos de final da Liga Europa, tendo agora que realizar um derradeiro jogo da fase de grupos, no terreno do Lask Linz, apenas para cumprir calendário. Vindo de uma vitória no jogo anterior desta competição da UEFA, frente ao Rosemborg, por 2-0, a confiança dos "leões" para este jogo era claramente maior face à do PSV que, na jornada anterior, consentiu uma pesada derrota por 1-4 frente ao Lask. A turma holandesa orientada pelo técnico e ex-jogador do PSV Mark van Bommel tinha por isso que ganhar, mas encontrou aquele que foi, porventura, o melhor Sporting da presente temporada.

Com Luis Maximiano entre os postos no lugar do normalmente titular Renan Ribeiro, mas também com Illori e Wendell no “onze” inicial, o Sporting encontrou pela frente uma formação do PSV em que se destacou Bruma, ex-jogador do Sporting que, em conferência de Imprensa, afirmou que encarava o jogo em Alvalade como uma final para o PSV, lembrando que foi no Sporting que cresceu muito e onde tudo lhe foi dado. Certo é que os “leões” começaram o jogo com duas oportunidades nos primeiros dois minutos, ambas nascidas no corredor direito, com a bola a ser centrada para a área da turma holandesa com a bola nos dois casos a terminar nas mãos do guarda redes alemão Lars Unnerstall, do PSV. Do outro lado, Max também fez uma excelente defesa nos minutos iniciais, ficando claro que o jogo iria ver vivo até ao final, como se viria a confirmar.

01LM6027

Certo é que tanto ameaçou a equipa do Sporting que, aos oito minutos, conseguiu mesmo chegar ao golo. Bruno Fernandes, no corredor esquerdo, fez um excelente passe para a zona frontal das redes do PSV e Luiz Phellype apareceu ali mesmo a finalizar com um cabeceamento muito bem colocado, visando o canto inferior direito da baliza dos holandeses, impossibilitando a defesa de Unnerstall. Logo depois, aos 15 minutos, uma arrancada de Bruno Fernandes e um remate a longa distância, colocado no canto inferior esquerdo da baliza, deixava claro que o Sporting queria continuar a mandar no jogo.

Por esta altura do jogo era de destacar a fraqueza defensiva do PSV, que por várias vezes deixou corredores abertos, acabando mesmo por permitir o segundo golo do Sporting, um fantástico golo do capitão leonino. Tendo recebido a bola em zona frontal à baliza da turma holandesa, e com uma enorme auto-estrada à sua frente, Bruno Fernandes só teve que tirar as medidas à baliza para o segundo golo da noite, num jogo em que o PSV continuava a dar conta de dificuldades em circular bola, sem conseguir levar perigo à baliza de Maximiano.

01LM6255

As únicas jogadas de algum perigo contra o Sporting acabaram por ser construídas pela ala direita, onde o internacional português Bruma tentou alguns remates intencionais para o golo, ele que foi sempre muito assobiado pelos adeptos do Sporting. As acções de Bruma levaram mesmo a que Bruno Fernandes tivesse que recorrer à falta para travar o português do PSV, acabando o capitão leonino por ver um cartão amarelo aos 22 minutos, situação que o irá impossibilitar de jogar na proxima jornada da Liga Europa.

Aos 41 minutos, mais uma jogada de perigo contra os holandeses na qual, após inúmeras recargas dos jogadores do Sporting, a bola sai pela linha de fundo, originando um pontapé de canto para o Sporting. Na sua transformação, Bruno Fernandes bate o canto para o interior da grande-área e, vindo do nada, aparece Mathieu a bater de primeira, enviando a bola para dentro das redes da baliza dos holandeses, ampliando a vantagem do Sporting para três golos. Pouco depois, o jogo chegava ao intervalo, ficando na retina a imagem de um Sporting muito criativo ofensivamente, com inúmeras jogadas a levarem perigo à baliza do PSV, mas também forte defensivamente, sem permitir espaços aos holandeses para progredir no terreno.

Destacavam-se desde logo as exibições no lado leonino de Bruno Fernandes e do guarda redes Maximiano, este último que, nas poucas vezes em que foi chamado a intervir, revelou-se um “mãos de ferro”, agarrando todas as bolas que a ele foram parar. Nota ainda para as boas exibições de Wendell no meio-campo, e Bolasie, que procurou sempre visar a baliza à guarda de Lars Unnerstall.

01LM6104

Do lado do PSV, e até ao intervalo, o destaque ia para a exibição de Bruma no ataque, tendo sido ele o autor da maior parte das jogadas perigosas contra o Sporting. Ainda assim, a Bruma também poderá ser apontada a falha de não ter apoiado os seus companheiros da defesa, acabando por se balancear demasiado para o ataque e permitindo dessa forma alguns espaços atrás de si que permitiram entradas mais fáceis dos avançados leoninos no meio-campo defensivo dos holandeses. Talvez por isso, por sentir que a sua equipa precisava de maior força no meio-campo e com isso construir mais jogo a partir da retaguarda, o técnico Mark van Bommel decidiu deixar Bruma no balneário durante o intervalo, chamando para o seu lugar Gakpo, Ao mesmo tempo, também Rosario deixava o seu lugar para Pereiro.

Certo é que, por força das alterações, o segundo periodo começou melhor para os holandeses, que mantiveram a pressão alta para a defesa leonina. Surgia assim um PSV muito mais presente no jogo, mas sem eficácia nas finalizações, sem conseguir o tão desejado golo. À passagem do minuto 61 um lnce de perigo do PSV termina com a bola trancada nos braços de Maximiano e, praticamente no minuto seguinte, eis que Acuña respondia com uma grande arrancada desde o meio-campo defensivo do Sporting.

01LM6676

O argentino invadiu o meio-campo do PSV, driblou sobre dois adversários, avançou para a grande-área do PSV e, já dentro da área de rigor, acaba por cair carregado por Baumgartl, garantindo assim uma grande penalidade indiscutível. Chamado a converter o castigo máximo, Bruno Fernandes, com calma e uma enorme frieza, encosta o pé na bola fingindo que vai dar com força mas acabando por fazer um remate ligeiro mas ainda assim indefensável, isto porque o camisola oito do Sporting esperou que o guarda-redes do PSV escolhesse o lado para o qual se iria atirar acabando Bruno Fernandes por enviar a bola lentamente para o lado contrário num golo de enorme classe, fazendo o 4-0.

Jorge Silas decide então tirar do jogo o marcador do primeiro golo, Luiz Phellype, para a entrada de Jesé, e pouco depois também o marcador do terceiro golo, Mathieu, para a entrada de Luis Neto, respectivamente aos 66 e 71 minutos. PSV continuava presente no jogo, a tentar remar contra a corrente mais forte da exibição do Sporting, mas de forma pouco criativa e mantendo a eficácia a zeros, permitindo ao Sporting a tranquilidade de que necessitava para não cometer erros na defesa.

01LM6885

Na formação do PSV ainda sai Bergwjin para a entrada de Thomas, respondendo Jorge Silas com a entrada de Rafael Camacho por troca com Wendell. Aos 84 minutos, já depois de uma entrada agressiva contra Vietto que o árbitro não sancionou, Illori choca contra Hendrix e o árbitro rapidamente marca a falta, exibindo a cartolina amarela para Illori. O público não gostou e rapidamente surgiram as vaias para o árbitro israelita Orel Grinfeld que, a bem da verdade, até assinou uma exibição tranquila e sem falhas dignas de registo.

Pouco depois chega o jogo ao final, com uma tão justa quanto dilatada vitória do Sporting por 4-0 frente aos holandeses do PSV Eindhoven, num jogo assistido por 30.146 pessoas, findo o qual os leões garantiram o apuramento para os dezasseis avos de final da Liga Europa, face a um adversário que fica agora muito mais longe do apuramento, sendo mesmo muito dificil para o PSV conseguir esse objectivo. Aliás, para que a turma de Eindhoven consiga seguir em frente nesta competição da UEFA, terá que vencer o Rosenborg, que neste grupo da Liga Europa ainda não tem qualquer ponto conseguido, e esperar que o Sporting vença o Lask Linz no próximo dia 12, dois jogos que, naturalmente, merecerão a devida atenção aqui mesmo no LusoGolo, o canal de Desporto do seu portal LusoNotícias. Até lá, o Sporting terá ganho esta quinta-feira, mais do que um jogo, uma “nova” equipa para Jorge Silas, algo que só poderá ser confirmado nos próximos jogos do campeonato português. O futuro o dirá se assim é!

texto: Diogo Reis
fotos: Luís Moreira

01LM6852

01LM7062

Pin It