Com uma vitória por 2-0 na recepção ao Maccabi Haifa, campeão israelita que veio jogar esta terça-feira ao Estádio da Luz, o Benfica prosseguiu o ciclo de vitórias que leva na presente temporada com um total de 10 jogos e igual número de vitórias, tendo acumulado mais 3,7 milhões de euros por força deste primeiro triunfo na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Num jogo em que o resultado foi construido no segundo tempo mas em que o Benfica dominou ao longo de toda a partida, os comandados de Roger Schmidt acusaram algum cansaço depois de, uma vez mais, o técnico alemão ter apostado no seu onze-base da presente época, com Vlachodimos enquanto guarda-redes, uma linha defensiva de quatro elementos formada por Bah, Otamendi, António Silva e Grimaldo, ainda Enzo e Florentino no miolo, com David Neres e João Mário nas alas e Rafa atrás do jovem Gonçalo Ramos, este enquanto ponta-de lança.

Já o conjunto israelita de Haifa posicionou-se no relvado num 5:3:2 quando defendia, um esquema que se desdobrava para um 4:1:4:1 em acções ofensivas, com destaque para os defesas laterais, Sundgren e Goldberg, mas também para Pierrot, o elemento mais adiantado da equipa israelita que procurou por algumas vezes (poucas) surpreender Vlachodimos com este a responder sempre a preceito.

Depois de um nulo ao intervalo, muito por culpa de alguma ineficácia do Benfica, a equipa às ordens de Roger Schmidt veio mais motivada do balneário, com Rafa e Grimaldo a assunirem o jogo e a justificarem pelo respectivo trabalho os golos e o triunfo. O lateral esquerdo, aliás, assinou a assistência para Rafa no primeiro golo, ao minuto 50', e levantou o estádio com um golo de bandeira cinco minuto depois, ao minuto 55', com um remate desferido ainda fora da grande-área do Maccabi Haifa que levou a bola a entrar no ângulo superior direito da baliza sem hipóteses para o guarda-redes Cohen.

Vitória assim sem contestação para o Benfica, a primeira nesta fase de grupos da Liga dos Campeões, num jogo em que os encarnados acusaram alguma falta de ideias e ausência de eficácia no primeiro tempo, com dificuldade de decisão nos últimos 20 metros ofensivos, uma realidad que conseguiram ainda assim contrariar no arranque do segundo tempo quando Rafa e Grimaldo jogaram simples e apontando ao golo, batendo finalmente um adversário que, ainda que organizado, mostrou estar sempre ao alcance deste Benfica.

A equipa da Luz irá na próxima quarta-feira jogar em Turim, frente à Juventus, formação que perdeu esta terça-feira no terreno dos franceses do PSG por 2-1, tendo ainda antes disso, já no sábado, 10, uma deslocação que se adivinha difícil ao terreno do Famalicão para um jogo da sexta jornada da I Liga.

texto: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte
Pin It