O Benfica garantiu esta terça-feira em Kiev um empate sem golos frente ao Dinamo de Kiev na primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, depois de um jogo em que dominou, teve mais posse de bola — 64% contra 36% por parte do Dínamo —, mas não conseguiu criar oportunidades de golo e esteve à beira de perder o jogo quando a turma ucraniana chegou mesmo a colocar a bola no fundo da baliza à guarda de Odysseas. Seria completamente injusta a vitória do Dínamo de Kiev, mas a verdade é que o conjunto ucraniano esteve à beira de conseguir somar os três pontos e os jogadores do Benfica não deixaram de passar um enorme susto em casa do conjunto ucraniano.

O momento do jogo acabou assim por acontecer já nos minutos de compensação e quanto tudo permitia pensar que o jogo iria terminar com um empate sem golos, o que até veio a acontecer. O Dínamo de Kiev conseguiu aproximar-se com perigo da baliza de Odysseas, o guarda-redes grego dos “encarnados”  acabou por brilhar com duas defesas de extrema dificuldade e, na sequência de um período de dois minutos em que o Dínamo conseguiu o que não havia conseguido até ali, um cruzamento em frente à grande área do Benfica permitiu mesmo o que parecia ser o golo da equipa da casa.

Os jogadores do Dínamo festejaram junto dos seus adeptos, a equipa do Benfica tinha por aquela altura a noção de que não havia tempo para impedir a derrota e apenas se livrou do que foi claramente um enorme susto quando o árbitro anulou o golo devido a um fora-de-jogo detectado pelo vídeo árbitro. Pouco depois, o árbitro dava o jogo por concluído, com o Benfica a respirar de alívio num jogo em que trabalhou para vencer, teve jogo para isso, e em dois minutos poderia ter sofrido o que seria uma desmoralizadora derrota.

Mantendo o esquema de três centrais (mesmo quando o Dínamo de Kiev apenas defendeu), uma linha média de quatro elementos e três homens à frente, Jorge Jesus apostou em Yaremchuk para o ataque apoiado por Everton e Rafa a partir das alas. Só que o ucraniano, frente ao clube em que se formou, não conseguiu ultrapassar a linha defensiva e Jorge Jesus acabaria, já no segundo tempo, por apostar em Darwin e Radonjic para os lugares de Yaremchuk e Everton, entrando também Lázaro por troca com Gilberto, trocas posicionais que nada trouxeram de eficaz, perdendo mesmo o Benfica alguma profundidade. Já à beira do final, João Mário deu o seu lugar a Taarabt em cima do minuto 90' Pizzi ainda entrou por troca com Rafa, mas o jogo estava já resolvido.

Dados mais três minutos de compensação pelo árbitro — pouco tempo face às paragens da partida, nomeadamente quando o árbitro deu um cartão vermelho por acumulação de amarelos a um jogador do Dínamo de Kiev. algo que teve que reverter para apenas cartão amarelo depois de ter verificado que o jogador em causa não tinha ainda qualquer amarelo —, foi mesmo durante esses três minutos que o Benfica não ganhou para o susto, primeiro com duas defesas determinantes de Odysseas, e depois com um suposto golo do Dínamo que só não se confirmou porque foi precedido de um fora-de-jogo que manteve o “nulo” no marcador.

O Benfica garantiu assim o primeiro ponto nesta fase de grupos da Liga dos Campeões, tal como o Dínamo de Kiev, no Grupo E em que, no outro jogo, o Bayern de Munique venceu o Barcelo por 3-0. Na próxima jornada desta Liga milionária da UEFA, o Benfica irá receber o Barcelona, a 29 de Setembro, no mesmo dia em que o Dínamo de Kiev irá viajar até Munique para ali defrontar o Bayern.

JR/LusoGolo
Pin It