O reforçado Benfica de Jorge Jesus perdeu esta terça-feira contra os gregos do PAOK, treinados pelo também português Abel Ferreira, por 2-1, num jogo que ditou o adeus dos encarnados à Liga dos Campeões antes mesmo de ter acesso à fase de grupos da competição.

O jogo, no que aos golos diz respeito, foi escrito com um autogolo a favor dos gregos assinado pela recente contratação belga do Benfica, Jan Vertonghen aos 63 minutos, e o segundo golo dos gregos apontado pelo jogador que há pouco mais de uma semana estava ainda a treinar no Seixal, Andrija Zivkovic, golo que este, e por respeito à antiga equipa, não celebrou. Já o golo dos encarnados foi apontado por Rafa Silva, já no período de compensação quando o Benfica corria atrás do prejuízo com um esforço que não foi suficiente para virar o resultado. Deste modo, o Benfica acabou eliminado da UEFA Champions League, caindo diretamente para a Liga Europa na qual será incluído no pote 1 do respectivo sorteio.

200915 PAOK SLB 01

200915 Everton 01

O Benfica defrontou em Salonica a formação grega do PAOK começando por apresentar um onze inicial com três “reforços” face à última época – Vlachodimos, André Almeida, Ruben Dias, Vertonghen, Grimaldo, Weigl, Taarabt, Pedrinho, Everton, Pizzi e Seferovic –, deixando quatro dos novoes elementos no banco – Helton Leite, Gilberto, Gabriel, Rafa, Waldschmidt, Darwin e Vinícius.

A equipa que passados cinco anos volta a trazer para casa o seu treinador Jorge Jesus, técnico que ganhou a ultima edição da Copa Libertadores pelo Flamengo, entrou mais fraca ofensivamente e sem grande criatividade durante os cinco minutos iniciais, ao contrário da formação grega que entrou a todo o gás. Mas esse gás acabou rápido e o Benfica passou a dominar na primeira parte.

Mesmo sem golos, a equipa às ordens de Jorge Jesus esteve melhor que a equipa grega, com grandes prestações individuais, nomeadamente de Pizzi, que aos 37 minutos, na transformação de um livre directo, colocou a bola no canto superior esquerdo da baliza adversária, porém a míseros centímetros do objectivo ficando a bola no poste da baliza da turma grega. Pedrinho também esteve muito bem no jogo tendo realizado o remate mais perigoso da primeira parte aos 44 minutos, com o guardião Zivko Zivkovic demonstrado atenção ao defender para canto.

Foi aliás a partir dos pontapés de canto que a equipa do Benfica mais deu conta do estudo táctico e da influência que Jorge Jesus já conseguiu junto do plantel das águias, ao surgirem sobre o relvado jogadas estudadas e bons passes que poderiam muito facilmente dar em golo. Pecou ainda assim o Benfica na finalização, nomeadamente pela fraca prestação do ponta de lança Haris Seferovic que falhou diversas ocasiões de golo.

200915 Pedrinho 01

200915 JorgeJesus 01

Depois de uma boa primeira parte, o Benfica baixou de produtividade, o PAOK melhorou e os jogadores de Jorge Jesus passaram a evidenciar uma maior apatia, com passes errados e sem ideias no último terço ofensivo do terreno, com uma clara ausência de criatividade ofensiva. Um ou outro jogador em termos pontuais continuavam a querer fazer a diferença, como Adel Taarabt ou Everton, nomeadamente este último que, aos 57 minutos, chegou mesmo a fazer um remate enquadrado que só não deu em golo porque o guarda-redes às ordens de Abel Ferreira travou o remate do internacional brasileiro ex-Grémio.

À passagem do minuto 63, pouco depois do Benfica ter estado perto do golo, o Paok desceu até ao meio-campo benfiquista, Akpom recebeu a bola já quase sobre a linha de fundo e, do cruzamento para o meio da área dos encarnados, resultou o primeiro golo do jogo para o PAOK, com o belga benfiquista de 33 anos, Jan Vertonghen, quando tentava cortar a bola, colocou-a no fundo das redes à guarda de Vlachodimos. O PAOK inaugurava deste modo o marcador e ficava claro que tudo seria mais difícil para o Benfica.

Consciente da necessidade de mudar algo na sua equipa, Jorge Jesus tentou mexer com o jogo chamando ao.onze” o uruguaio Darwin, a contratação mais cara de sempre do futebol português, que entrou por troca com o brasileiro Pedrinho. André Almeida, do lado do PAOK, chamava o ex-benfiquista Andrija Zivkovic, que entrou para lugar de Pelkas, e Jesus respondia com a entrada de Carlos Vinicius por troca com o ineficaz e completamente apagado Haris Seferovic.

Certo é que os dois jogadores agora mais adiantados no terreno na equipa do Benfica, apesar da boa colocação por parte em particular de Darwin, que deu conta de alguma persistência na luta pela posse de bola e vontade de mostrar resultados, foram ambos insuficientes para ajudar a equipa a igualar o marcador, chegando ser visível uma equipa do Benfica que, com dois “postes” dentro da área do PAOK, não era sequer capaz de um cruzamento por alto em busca do jogo aéreo dos seus avançados.

200915 PAOK SLB 02

200915 Vinicius 01

Perante aquela realidade, o segundo dos gregos surgiu mesmo, aos 75 minutos, e logo pelos pés do ex-jogador encarnado Zivkovic que, num lance em que teve tempo para “bater” Vinícius e ultrapassar Grimaldo, puxando a bola para o seu melhor pé e deixando com isso o defesa espanhol “nas covas”, rematou para a baliza do Benfica onde Vlachodimos fez muito menos do que aquilo a que tem habituado os adeptos, tendo ficado a ideia que o guarda-redes grego poderia ter feito mais na defesa do remate do sérvio.

Zivkovic colocou deste modo a bola no fundo das redes e ampliou a vantagem da equipa da casa então para 2-0, face aum Benfica a jogar cada vez mais sobre brasas. Jorge Jesus voltou a mexer na sua equipa e, certamente com esperança de ainda conseguir virar o resultado, ou no minimo fazer dois golos para alcançar o empate e tentar resolver o jogo no prolongamento, tirou do campo o marroquino Taarabt para a entrada do internacional português Rafa Silva, com este a dar conta de não estar ainda na melhor forma.

Refira-se ainda assim que, mesmo longe do seu melhor, Rafa conseguiu fazer o único golo do Benfica no jogo, alcançado já no tempo de compensação do jogo ao responder com um desvio de cabeça a um cruzamento vindo da direita. Porém, o golo de Rafa veio tarde pois faltavam apenas segundos para o apito final do jogo que foi assinalado logo depois.

200915 JorgeJesus 02

200915 Vinicius 02

Com esta derrota, o Benfica fica de fora da fase de grupos da Liga dos Campeões, algo inédito pelo menos tendo em conta os últimos dez anos, e deita assim abaixo a ambição e o sonho Europeu tão falado e prometido pela Direção de Luís Filipe Vieira e pelo treinador Jorge Jesus, terminando o Benfica, e por culpa própria, frente a um adversário que esteve claramente ao seu alcance, a caminhada que nem iniciou, ficando pelos tacos de partida nesta maratona desejada para a milionária “Champions League” da UEFA.

A equipa do Benfica volta aos relvados em competição já na sexta-feira, dia 18, no terreno do Famalicão, às 19 horas, para o jogo que determinará para ambas as formações o arranque do campeonato da I Liga.

Diogo Reis
LusoGolo
fotos ©Twitter

Pin It