Um jogo particularmente negativo do Benfica frente a um Bayern que nem precisou de impor grande velocidade no jogo permitiu ao conjunto bávaro garantir uma goleada de 5-1 frente ao Benfica, resultado construído de forma tranquila pela turma germânica que ao intervalo já vencia por 3-0.

No Benfica, o melhor jogador acabou por ser o guarda-redes Vlackodimos, ele que impediu um resultado ainda mais desnivelado, em contraponto com as más exibições de elementos como Grimaldo ou Conti, completas nulidades nesta partida em que o Bayern marcou sempre a partir de espaços no interior da pequena área da baliza do Benfica. Gedson ainda fez o golo de honra para os benfiquistas no primeiro minuto do segundo tempo, mas logo depois Lewandowski, de cabeça a saltar no meio dos dois centrais do Benfica, voltou a marcar para o Bayern derrubando qualquer intenção de recuperação que os pupilos de Rui Vitória pudessem ter por aquela altura.

Depois deste jogo, para o qual o Benfica entrou já depois de saber que o Ajax havia vencido sobre o AEK e que por isso estavam já definidos os apuramentos de Bayern e Ajax para os oitavos de final da Liga dos Campeões e a consequente queda do Benfica para a Liga Europa, o que permitiu ao Bayern um autêntico passeio face a um Benfica passivo e sem esclarecimento nem capacidade para mais, os pupilos de Rui Vitória descem para a Liga Europa independentemente do que acontecer no jogo entre o Benfica e o AEK no último jogo desta fase da Champions que servirá apenas para cumprir o calendário do Grupo E.

Bayern Benfica 00

Fica deste jogo no relvado do Allianz Arena a imagem de uma equipa “nula” do Benfica, uma imagem negativa que não é já deste jogo mas que já vem detrás e que deveria obrigar Rui Vitória a repensar a sua estratégia e nomeadamente a assumir que algo está mal, não sendo este resultado apenas fruto de um jogo menos bom mas sim uma sequência de más exibições que já deveriam ter permitido no seio dos "encarnados" o soar de campainhas de alarme que tardam em se fazer ouvir.

Rui Vitória, que ficará sempre como um técnico com um bom currículo ao serviço do Benfica, com quem venceu seis títulos nas primeiras três épocas ao serviço dos "encarnados", nomeadamente dois campeonatos nas duas primeiras épocas em que orientou o conjunto da Luz, apresenta agora um caminho despido de soluções e, pior do que isso, despido de resultados, o que deverá levar Luís Filipe Vieira a deixar cair este treinador que parece ter esgotado o seu tempo à frente do Benfica sem que consiga explicar o que se passa de mal nem tão pouco apresentar soluções concretas para inverter este momento negativo.

Bayern Benfica 02

Em termos práticos, deste quinto jogo do Benfica na fase de grupos da Liga dos Campeões, ficam cinco golo sofridos, fazendo subir para 11 o número de golos consentidos pelo Benfica na presente temporada da Liga dos Campeões quando falta disputar ainda um jogo.

Robben, com dois golos em que fez o que quis da defesa do Benfica, nomeadamente de Grimaldoque simplesmente não teve um apontamento de qualidade nesta partida, mas também Lewandowski, o avançado polaco que cabeceçou por duas vezes para igual número de golos apontados no mesmo sítio, entre os centrais do Benfica que primeiro chocaram entre si caindo ambos no solo e com isso permitindo o golo do Bayern, ou nem sequer levantaram os pés do chão deixando que o polaco do Bayern fizesse um golo extremamente fácil, e ainda o francês Ribéry a fechar a contagem para os 5-1, tudo correu bem para o clube alemão que nem sequer teve que fazer uma grande exibição mas tão só um jogo suficiente para impor uma derrota pesada ao Benfica.

texto: Jorge Reis

Pin It