Um golo do argentino Cervi, depois de uma assistência de outro argentino, Salvio, permitiu ao Benfica uma vitória tangencial mas de importância acrescida sobre os turcos do Fenerbahce, por 1-0, no jogo da primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Num jogo em que o técnico Rui Vitória fez alinhar o grego Vlachodimos na baliza, o jovem médio Gedson Fernandes e o avançado Facundo Ferreyra como novidades da equipa relativa à época passada, ficou claro que há ainda muito para fazer, embora a determinação e a vontade dos jogadores esteja lá toda.

Curiosamente, da parte do próprio Rui Vitória ficou clara algum défice de ousadia, nomeadamente quando na segunda parte trocou avançado por avançado, fazendo sair Ferreyra para a entrada de Castillo, quando poderia manter os dos homens mais adiantados em busca de uma vantagem mais dilatada. Os adeptos protestaram, os analistas estranharam, mas o técnico do Benfica manteve-se afinal igual a si próprio, preferindo refrescar so que ousar, sem nada mais conseguir.

Certo é que em termos de apostas, Rui Vitória chamou ao "onze" titular para este primeiro compromisso "a sério” dos “encarnados” o guarda-redes Vlachodimos, protegido por um quarteto defensivo recuperado da época anterior, com André Almeida, Ruben Dias, Jardel e Grimaldo. Fejsa surgiu na posição seis apoiado na linha média pelo miúdo Gedson Fernandes, que deambulou pelo terreno quase sempre com intensidade e bom futebol, fazendo esquecer que ainda há um ano alinhava entre os júniores o Benfica B, com Pizzi, Cervi e Salvio atrás de Facundo Ferreyra, este último a surgir como o elemento mais "ausente" do jogo, ele que foi carregado na grande-área do Fenerbahce num lance para grande penalidade que o árbitro não assinalou logo aos três minutos, e que voltou a ter uma oportunidade de golo ao minuto 44 quando, isolado em frente ao guarda-redes Demirel, rematou frouxo para a defesa do guardião do Fenerbahce.

Do lado dos turcos, para além do experiente guarda-redes, o central Skrtel foi sempre o patrão da defesa ao lado de Neustadter, Hasan e Isla, havendo ainda que destacar o trabalho de Mehmet Topal no meio-campo e de Valbuena que entrando pelo corredor esquerdo tentou sempre ir buscar jogo a zonas interiores para depois procurar chegar à grande área do Benfica. Ao longo do primeiro tempo, ainda que sem decisões ostensivamente tendenciosas, foi o árbitro bielorrusso Aleksei Kulbakov a ser protagonista, com pequenas decisões erradas que foram irritando jogadores e adeptos do Benfica.

Certo é que, depois de Ferreyra ter falhado a oportunidade que teve ao minuto 44, o intervalo acabou por chegar sem que nenhuma das equipas fizessem funcionar o marcador, num jogo em que era ao Benfica que mais falta faziam os golos, isto porque a vitória era imprescindível para uma boa colocação dos "encarnados" na decisão deste apuramento para o play-off que dará lugar à fase de grupos da Liga dos Campeões. É que se o empate era aceitável para ambas as equipas, o facto da segunda partida ser disputada em casa do Fenerbahce aconselhava o Benfica a conseguir um golo que permitisse a vitória nesta primeira mão da terceira pré-elliminatória da Champions.

Entrando pelos flancos, com Salvio e André Almeida pela direita e Cervi e Grimaldo pela esquerda, o Benfica foi sentindo algumas dificuldades em conseguir construir jogo por dentro, com Ferreyra sempre na frente sem que ninguém conseguisse "furar" pelo meio na linha média do Benfica. Gedson Fernandes foi oscilando para um e outro flanco, mas nunca surgiu ninguém a fazer o trabalho que no passado Jonas fazia ao descobrir espaços "entre linhas".

Aquele figurino que marcou o primeiro tempo do jogo foi continuado na etapa complementar que “começou” com um remate de Sálvio desferido de longe a encontrar as mãos de Demirel que desviou a bola pela linha de fundo, mantendo-se o jogo com o "nulo" como começara. O Benfica continuava assim mais perto da baliza da turma turca mas sem que isso implicasse resultados práticos.

À passagem do minuto 60, o técnico do Fenerbahce, Philip Cocu fez sair Valbuena para a entrada de Mehmet Ekici, uma alteração algo estranha já que Valbuena vinha realizando um bom jogo. Rui Vitória resolveu responder e chamou a jogo Castillo para o lugar de Ferreyra, numa troca directa de avançados, dando conta Rui Vitória de uma completa ausência de ousadia mas também de ideias. Esta mudança, aliás, motivou muitos protestos vindos das bancadas onde os adeptos do Benfica também não perceberam a intenção do seu técnico.

Eis senão quando, à passagem do minuto 69', uma bola trocada dentro da grande área do Fenerbahce permitiu a Sálvio a partir do corredor direito descobrir Cervi isolado do lado esquerdo, ele que recebeu a bola, teve tempo de puxar a bola para o seu melhor pé e rematar ainda assim algo fraco mas colocado, tirando partido de uma reacção tardia de Demirel, claramente mal batido para o primeiro golo do Benfica. Os 57.878 espectadores presentes no Estádio da Luz exultaram de alegria e acreditaram que ainda seria possível mais algum golo a partir dali, mas a verdade é que estava feito o resultado.

A partir dali o jogo cresceu no número de quezílias, o árbitro Kulbakov começou então a distribuir cartolinas amarelas, três das quais para homens do Fenerbahce, como Soldado, Ekici e Elmas, mas também para o benfiquista Grimaldo. O jogo viria a terminar com a vantagem justificada pelo Benfica, que apenas não conseguiu uma vantagem mais dilatada porque não teve na frente a eficácia capaz de ilustrar o domínio do jogo e a posse de bola que conseguiu efectivamente, nomeadamente no segundo tempo quando Vlachodimos foi um mero espectador no jogo.

O Benfica parte assim para a Turquia onde irá jogar na próxima quarta-feira em Istambul, no terreno do Fenerbahce, com uma vantagem que ainda assim não pode tranqulizar os jogadores às ordens de Rui Vitória. É que, se a vantagem de um golo e sem golos sofridos é posítiva, poderá não ser suficiente se o Benfica adoptar uma postura de que a eliminatória está ganha, porque de facto não está. Antes desse jogo, o Benfica ainda irá receber o Vitória de Guimarães na próxima sexta-feira, em jogo da primeira jornada da I Liga, dois jogos a acompanhar também aui no LusoGolo, o canal de Desporto do LusoNotícias.

reportagem: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte

Pin It