O presidente do Benfica Luís Filipe Vieira foi esta quarta-feira detido pelas autoridades, encontrando-se para já conjuntamente com o seu advogado a acompanhar as buscas por parte das autoridades policiais, devendo depois recolher ao Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, em Moscavide. Posteriormente, Vieira deverá ser ouvido no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) algo que terá que acontecer nas próximas 48 horas.

A detenção de Vieira surge na sequência de buscas realizadas em casa do líder benfiquista mas também no Estádio da Luz e outros locais pela Autoridade Tributária (AT) e pelo DCIAP. Em causa estão suspeitas de crimes de burla qualificada ao Fundo de Resolução bancária e ainda crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitalismo e de abuso de confiança em relação ao próprio Benfica. Certo é que logo que se soube da detenção de Luís Filipe Vieira foi anunciada pelo Benfica uma reunião extraordinária de emergência por parte da Direcção da SAD dos “encarnados”

O propósito da reunião convocada de emergência para as 17h da tarde de hoje, quarta-feira, visa avaliar aquelas que poderão ser as consequências associadas à detenção de Luís Filipe Vieira, isto numa altura em que o Benfica se encontra a preparar a temporada e procura fechar contratações como é o caso de João Mário, o jogador do Inter de Milão que esteve na última época emprestado ao Sporting e que deverá fechar contrato até ao final da semana com o clube da Luz.

Este mega-processo de investigação em redor do presidente do Benfica que para já resultou na detenção de quatro indivíduos, entre eles Luís Filipe Vieira, surge na mesma semana em que a Benfica SAD avançou com mais um empréstimo obrigacionista, cujos títulos podem ser subscritos até 23 de julho. O objetivo da SAD dos “encarnados” visa permitir arrecadar 35 milhões de euros, algo que como surge reflectido no prospecto de lançamento do empréstimo, pode ser prejudicado pelos processos judiciaisem redor do Benfica devido a “impactos na reputação e imagem do Emitente e implicar consequências adversas”.

A aguardar o momento em que irá ser ouvido pelo juíz Carlos Alexandre, a Luís Filipe Vieira poderá ser aplicada prisão preventiva logo depois dessa audição, ele que poderá ser acusado por diversos crimes de fraude fiscal e branqueamento de capitais. Para além de Luís Filipe Vieira foram igualmente detidos hoje o empresário, sócio do Benfica e accionista da SAD do clube da Luz, José António dos Santos, conhecido por “O Rei dos Frangos”, tudo isto em consequência de uma operação que está a ser levada a cabo por mais de uma centena de agentes da PSP e da Inspeção Tributária (IT), a qual inclui buscas que estão a ser realizadas às instalações do Benfica, à sede do Novo Banco (do qual o presidente do clube é um dos grandes devedores, desde o tempo do BES), aos escritórios da Promovalor (empresa imobiliária de Vieira, em Santo António dos Cavaleiros) e da Avibom (firma de avicultura de José António dos Santos), e às sociedades gestoras de fundos C2 Capital Partners (antiga Capital Criativo) e Iberis Semper.

JR/LusoGolo
Pin It