Depois de ter sido eliminado na Liga Europa frente ao Shakhtar Donetsk com um empate (3-3) na recepção ao conjunto ucraniano, transportando nos últimos seis jogos três derrotas e dois empates, o Benfica recebeu esta segunda-feira em casa o Moreirense num jogo que levou as emoções encarnadas ao rubro, do qual saiu a queda dos “encarnados” para o segundo lugar do campeonato, agora a um ponto do rival FC Porto. Num jogo em que foram pelo menos três as bolas no poste da baliza moreirense, e ainda em que Pizzi falhou um pénalti, os “encarnados” acabaram por não conseguir somar os três pontos, chegaram ao empate sobre o minuto 90 e acabaram assobiados pelos seus adeptos que deixaram claramente muito aquém das expectativas criadas para este jogo.

O Benfica até entrou bem no jogo, tendo construído a primeira grande oportunidade de golo aos cinco minutos, a partir de um pontapé de canto cobrado do lado direito. Grimaldo bateu o canto e o central Iago, ao tentar desviar a bola para a tirar da sua baliza, ficou à beira de fazer o autogolo. O Moreirense mostrava ainda assim solidez defensiva e o jogo deixava sinais de algum equilíbrio, com ambas as equipas a progredir no terreno ofensivamente, embora sem que conseguissem chegar ao golo. Aos 22 minutos, Vinicius ficou à beira de inaugurar a contagem, recebendo um passe longo que rasgou a defesa do Moreirense. Isolado, Carlos Vinicius rematou mas a bola encontrou de novo o brasileiro Iago na sua trajectória e perdeu-se a oportunidade de golo. 

Sem conseguir chegar ao golo, o Benfica aumentou a pressão sobre a baliza do Moreirense a partir dos 20 minutos de jogo, respondendo a equipa de Moreira de Cónegos com uma organização defensiva muito bem pensada, que não permitiu aos encarnados ficar À beira do golo. Mesmo com poucas oportunidades, a equipa do Moreirense sempre que conseguiu progredir no terreno criou bastante perigo ao Benfica, tal como aconteceu à passagem da meia-hora quando Biel cruzou a partir do flanco direito para o interior da área benfiquista. Sem oposição, João Aurélio cabeceoou a contento mas a bola saiu por cima da trave. Logo a seguir, na resposta, o Benfica beneficiou de um passe particularmente inteligente de Taarabt para Pizzi, com este a rematar com força levando a bola a encontrar o guarda-redes Mateus Pasinato que defendeu com grande classe para novo pontapé de canto.

01LM1519

01LM1548

01LM1555

Aos 37 minutos de jogo foi a vez de Ruben Dias ter ficado à beira do golo, no que seria o segundo golo em dois jogos consecutivos pelas águias. Rafa cruzou a partir do lado esquerdo do ataque benfiquista e Ruben Dias, com uma entrada de carrinho em velocidade, rematou para o lado esquerdo da baliza levando a bola a passar a centimetros do poste. Os golos tardavam, ficava a ideia de que o jogo não seria fácil para o Benfica, mas os adeptos ainda acreditavam que seria uma questão de ser conseguido o primeiro golo para tudo ficar mais fácil e a verdade é que o segundo tempo começou com aquilo que parecia poder ser exactamente o golo inaugural da partida para os “encarnados”, com uma grande penalidade a favor do Benfica por mão na bola dentro da grande-área por Gabrielzinho.

Chamado a cobrar o castigo máximo, o capitão encarnado Pizzi falhou a baliza e os adeptos do Benfica terão sentido o primeiro verdadeiro sinal de complicações acrescidas neste jogo. Pouco depois, Rafa ainda colocou a bola no fundo das redes da baliza do Moreirense, mas o árbitro Fábio Veríssimo, alertado pelo VAR Vasco Santos, foi ver as imagens do lance e anulou o golo, por suposto toque com o braço na bola por parte de Pizzi, o capitão do Benfica a quem quase tudo correu mal neste jogo frente aos homens de Moreira de Cónegos. Tomás Tavares cruzou para o segundo poste, Pizzi desviou com a mão para o poste e Rafa apareceu oportuno a colocar a bola no fundo das redes com a equipa de arbitragem a encontrar o erro de Pizzi para anular o golo ao Benfica.

Para tentar mexer com o jogo, Bruno Lage retirou o alemão Weigl do jogo e colocou Dyego Sousa que quase conseguiu virar o jogo aos 60 minutos. Contudo, a verdade é que não serviu muito a alteração e aos 67 minutos tudo ficava mais complicado para o Benfica já que foi o Moreirense quem se colocou na frente do marcador com um golo apontado por Fábio Abreu. Conté centrou para a área dos “encarnados” e o angolano, bem posicionado, marcou e instalou a crise na equipa do Benfica.

01LM1681

01LM1636

01LM1681

Bruno Lage precisava agora de mudar algo na sua equipa de forma substancial e com consequências práticas, dando sinais de querer modificar a tática do jogo. Para isso tirou do relvado Rafa para a entrada de Cervi, mas também Adel Taarabt que deu o seu lugar a Jota, mudança que provocou uma grande contestação a partir das bancadas do Estádio da Luz, isto porque mesmo cansado era Taarabt que ainda tinha força para procurar desequilíbrios na zona frontal à grande-área do Moreirense. Sem aqueles dois jogadores em campo, o Benfica passou então a jogar pelos corredores laterais, fazendo-o de forma previsível e permitindo um posicionamento defensivo mais forte ao Moreirense.

Aos 73 minutos Vinicius falhou o golo e mais assobios foram ouvidos nas bancadas da Luz. Três minutos depois foi a vez de Grimaldo centrar para a área da turma visitante onde apareceu Iago com um corte acrobático a tirar a bola. Aí, numa tentativa de queimar tempo, a equipa médica do Moreirense entrou em campo para assistir um johgador que entretanto já se levantara, num episódio pouco bonito e nada de acordo com o fair-play desportivo que se espera de qualquer conjunto.

Aos 80 minutos quase que o Moreirense conseguia ampliar a vantagem, no entanto Pedro Nuno não conseguiu direcionar tão bem a bola e saiu pela linha de fundo.

Acabou por ser aos 89 minutos de jogo que um segundo penalti favorável ao Benfica, cometido sobre Cervi, viria a permitir finalmente o golo dos “encarnados”, transformado por Pizzi que chegou ao golo ainda assim após insistência.

01LM1732

01LM1899

01LM2123

Pizzi bateu castigo, o guarda redes Pasinato defendeu mas soltou a bola para a sua frente e o mesmo Pizzi, na recarga, marcou e igualou a partida. Por esta altura o árbitro Fábio Veríssimo deu mais oito minutos de compensação e houve ainda tempo para, aos 90+4', ser marcado um livre perigoso a favor do Benfica em zona frontal à baliza do Moreirense, acabando o espanhol Grimaldo por rematar a bola sem direcção enviando a bola com demasiada altura sem conseguir enquadrar o remate com a baliza.

Quase no lance seguinte o árbitro apitou para o final da partida ditando assim o empate entre Benfica e Moreirense, ficando os “encarnados” a um ponto do FC Porto que ascende à liderança da I Liga com 59 pontos, à frente do Benfica agora com 58. Resta referir que esta 23ª jornada termina esta terça-feira com a visita do Sporting ao terreno do Famalicão.

texto: Diogo Reis
fotos: Luís Moreira Duarte

01LM2298

01LM2384

01LM2472

01LM2522

Pin It