×

Mensagem

Failed loading XML... Entity 'ccedil' not defined Entity 'otilde' not defined Entity 'aacute' not defined Entity 'eacute' not defined Entity 'laquo' not defined Entity 'ecirc' not defined Entity 'raquo' not defined Entity 'ecirc' not defined

Três dias depois do triunfo dos "encarnados" sobre os "verde-e-brancos" em Alvalade, por 4-2, em jogo da 20ª jornada da I Liga, o Benfica somou esta quarta-feira nova vitória, agora por 2-1, em jogo da primeira mão da meia-final da Taça de Portugal, um jogo em que a equipa da casa esteve a vencer por dois golos mas em que os "leões", com um golo aos 83 minutos, num remate potente e bem dirigido, na transformação de um livre directo por Bruno Fernandes, ficou ainda em condições de discutir o apuramento para a final a disputar no Estádio Nacional, isto porque as duas formações terão que se reencontrar de novo em jogo da segunda mão no recinto sportinguista no próximo mês de Abril.

A propósito deste jogo, há que dar conta de um maior equilíbrio nesta partida em termos comparativos com aquilo que havia acontecido em Alvalade três antes. Afinal, se naquele jogo o Benfica conseguiu um domínio inequívoco, desta vez o Sporting, que jogou com Diaby como o jogador mais adiantado no terreno enquanto que o holandês Bas Dost começou a partida no banco de suplentes, conseguiu equilibrar mais os acontecimentos, chegando mesmo o Sporting a garantir algum domínio ainda que ligeiro, e porventura consentido pelo Benfica depois deste estar em vantagem e precisar apenas de controlar o ritmo da partida.

Do lado do Benfica, nota para a lesão do central brasileiro e capitão de equipa Jardel, ao minuto 38, que obrigou o técnico Bruno Lage a chamar à equipa o jovem Ferro, jovem central da formação do Benfica que assim se estreou pela equipa principal das águias e que passou assim a formar a dupla de centrais a partir daquela altura com o também jovem mas bem mais traquejado Rúben Dias, acabando Ferro por assinar uma boa exibição.

Certo é que a formação leonina teve mais posse de bola (54 contra 46 por cento), efectuou um maior número de remates (oito contra sete) e em concreto mais remates à baliza (quatro contra três). Já o Benfica somou mais pontapés de canto (cinco contra dois) e mais foras de jogo (três contra um), acabando os golos, aquilo que dita o sucesso ou insucesso de um jogo, por serem apontados dois pelo Benfica, nomeadamente por Gabriel, aos 16 minutos, e Tiago Ilori na própria baliza, após um remate cruzado de João Félix, aos 65 minutos, e ainda um golo para o Sporting, por Bruno Fernandes, aos 83 minutos.

O golo do Sporting, aliás, permitiu que os "leões" reentrassem no jogo e, porventura mais importante, também na eliminatória, isto porque uma vitória da equipa às ordens de Marcel Keiser a jogar em casa no jogo da segunda mão por apenas 1-0, em Alvalade, permitirá vantagem ao conjunto verde-e-branco e o consequente apuramento para a final do Jamor.

A história deste jogo ficou registada nas imagens recolhidas pelo nosso fotojornalista Luís Moreira Duarte, num conjunto de imagens que aqui lhe trazemos onde damos conta dos momentos mais determinantes, desde os golos à forma como o jogo foi vivido até a partir das bancadas da Luz do lado exterior às quatro linhas.

fotos: Luís Moreira Duarte | LusoGolo

Pin It