Rui Vitória já tinha dito, depois da derrota com o Belenenses, que o Benfica teria que aprender a conviver com o insucesso e esta sexta-feira, frente ao Moreirense, os "encarnados" consentiram a terceira derrota consecutiva, por 1-3, no jogo de abertura da nona jornada da I Liga, uma partida em que os pupilos de Vitória até marcaram o primeiro golo do jogo, bem cedo, logo ao minuto 02'.

Após uma assistência de João Félix para Jonas, dois elementos que neste jogo regressaram à titularidade, o brasileiro faturou o primeiro golo do jogo e tudo parecia indicar que o Benfica teria condições para construir uma vitória tranquila. Só que ao minuto 05', num lance de ataque rápido, o Moreirense repôs a igualdade com um golo de Chiquinho, caindo todo o esquema táctico da equipa da casa como um mero castelo de cartas.

Reposta a igualdade com o golo do Moreirense, os adeptos ainda acreditaram que a equipa do Benfica poderia justificar a boa entrada em campo, mas a verdade é que foi a turma de Moreira de Cónegos a chegar de novo ao golo, ao minuto 15', por Pedro Nuno.

Se dúvidas existissem quanto à superioridade do Moreirense neste jogo, o terceiro golo da turma visitante apareceu mesmo, ao minuto 35, fruto de um grande remate de Mamadou Loum, ao minuto 35, desferido em zona frontal bem antes da linha limite da grande área, com a bola a entrar junto ao poste direito da baliza à guarda de Vlachodimos que poderia aqui ter uma intervenção mais acertada.

Para trás, antes mesmo do terceiro golo do Moreirense, já tinham ficado duas oportunidades de golo eminente, ambas para o Benfica por Rafa, a primeira das quais com o jogador benfiquista isolado em frente ao guarda-redes Jonathan a fazer um chapéu ao guardião mas não com força suficiente, permitindo que o guarda-redes conseguisse recuar até à linha de golo para dar uma palmada na bola e impedir o golo.

Em outro lance, ao minuto 33, o mesmo Rafa voltaria a ter uma oportunidade flagrante num lance em que ultrapassou mesmo o guardião Jonathan, acabando por rematar contra Aberhoun levando a bola a sair pela linha de fundo. Praticamente no lance seguinte surgiu o já referido golo de Loum que deu o "golpe de misericórdia" sobre as pretensões benfiquistas.

Colectivo benfiquista apático e com muitos erros acumulados

Elementos como Grimaldo, que simplesmente esteve ausente no seu corredor defensivo em dois dos três golos do Moreirense construídos com lances exactamente do seu lado, mas também André Pereira, Pizzi e João Félix, que simplesmente estiveram "ausentes" do jogo, foram elementos a menos na estratégia do Benfica que, no segundo tempo, sofreu ainda novos percalços determinantes, nomeadamente ao minuto 76 quando o defesa central e capitão do Benfica, Jardel, agrediu Arsénio durante a formação de uma barreira e mesmo em frente ao árbitro Nuno Miguel que não teve alternativa senão mostrar um cartão vermelho directo e dessa forma deixar o Benfica reduzido a 10 unidades.

No segundo tempo as oportunidades foram quase nulas para o Benfica, perante uma equipa do Moreirense muito bem montada pelo técnico Ivo Vieira que se revelou particularmente eficaz no primeiro tempo, que em quatro remates à baliza faturou três golos.

Ao intervalo do jogo, Rui Vitória chamou para o encontro Sálvio e Castillo, por troca com Pizzi e André Almeida,  e viria a fazer entrar Cervi por troca com João Félix ao minuto 68, e nenhuma destas mexidas permitiram resultados, mantendo-se o Benfica a jogar sem chama, sem ideias e sem conseguir inverter o rumo de um jogo em que o Moreirense venceu de forma justa e merecida.

Conscientes da forma justa como o Moreirense garantiu a conquista dos três pontos através de uma exibição bem mais convicente face à dos "encarnados", os adeptos do Benfica não pouparam Rui Vitória e os jogadores de uma enorme vaia, despedindo o grupo de trabalho de Rui Vitória com lenços brancos ao som de uma palavra de ordem gritada em uníssono: “Demissão!”

O Benfica somou assim a terceira derrota consecutiva, depois dos desaires na Holanda frente ao Ajax, em jogo para a fase de grupos da Liga dos Campeões, e no Jamor perante o Belenenses SAD, e terá agora na próxima semana dois jogos em que o grupo de trabalho de Rui Vitória terá que recuperar deste momento negativo, algo que não será fácil se nos lembrarmos que o jogo da próxima quarta-feira, no Estádio da Luz, irá ser disputado frente ao Ajax. Depois disso, no domingo, dia 11, o Benfica terá que visitar a formação do Tondela em jogo da décima jornada da I Liga.

texto: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte

Pin It