Com João Félix e Gabriel como titulares, e com Jonas no banco de suplentes a entrar na fase final da partida para ir recuperando minutos e tempo perdido após a ausência dos relvados, o Benfica ganhou este domingo no Estádio da Luz frente ao Desportivo das Aves, em jogo da quinta jornada do campeonato da I Liga, um jogo em que os encarnados marcaram um golo em cada metade, primeiro pelo jovem João Félix, ao minuto 34 depois de uma assistência de Pizzi, e depois, já no segundo tempo, por Cervi, solicitado na área do Aves ao minuto 62 por André Almeida, com o argentino a receber a bola de pé esquerdo e a rematar com o direito sem possibilidade de defesa para o guardião Beunardeau.

Perante um Desportivo das Aves que, mesmo assumindo uma postura claramente defensiva, tentou ainda assim subir no terreno até à baliza de Vlachodimos, nomeadamente no segundo tempo, a verdade é que o Benfica dominou o jogo, controlou os tempos de construção e geriu a partida, justificando por absoluto a conquista dos três pontos que deixou no final desta jornada a turma da Luz na frente da I Liga a par com o Sporting de Braga.

Para a história fica um jogo em que o técnico Rui Vitória chamou a jogo uma equipa com Seferovic como o homem mais adiantado, apoiado por João Félix e Sálvio nos corredores laterais. Fejsa, Pizzi e Gabriel assumiam o triângulo do meio campo, com o quarteto defensivo formado por André Almeida, Ruben Dias, Jardel e Grimaldo. Ao minuto 53, João Félix lesionou-se sozinho num lance em que assentou mal o pé acabando por sofrer uma forte torção que o obrigou a deixar o relvado apoiado em ombros na equipa médica benfiquista, entrando Cervi para o seu lugar. Refira-se que, apesar de não ter estado em campo até ao final da partida, o jovem João Félix acabou ainda assim por ser o melhor elemento em campo na equipa do Benfica.

Ao minuto 72, já depois do segundo golo dos encarnados, Salvio deu o seu lugar a Jonas, mas antes do final outra lesão, agora sofrida por Grimaldo, obrigou a nova alteração forçada, com Rafa Silva a ser chamado ao jogo ao minuto 83 para um jogo que não viria a sofrer mais alterações no marcador.

Do lado do Desportivo das Aves, fica a referência ao onze inicial, formado pelo guarda-redes Bernardeau, ainda os defesas Rodrigo, Ponck, Defendi e Vítor Costa, três médios quase sempre encostados à linha defensiva — El Adoua, Vítor Gomes e Braga, e ainda Mama Baldé e Elhouni como médios mais adiantados no terreno, sobrando Bruno Gomes como o elemento mais adiantado. O técnico José Mota só ousou no segundo tempo, consciente de que outra forma de agir poderia significar uma derrota ainda mais pesada, num jogo em que o melhor elemento da equipa visitante foi mesmo o guarda-redes Beurnardeau.

texto: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte

Pin It