Depois de ter sido constituída arguida na sequência do caso “e-toupeira”, a Sociedade Anónima Desportiva do Benfica, mas também o seu colaborador Paulo Gonçalves bem como dois funcionários judiciais, foram hoje acusados pelo Ministério Público (MP) de vários crimes, incluindo corrupção, favorecimento pessoal, peculato e falsidade informática.

Segundo informação hoje disponibilizada no sítio na Internet da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), o Ministério Público “requereu o julgamento em tribunal colectivo por factos apurados no âmbito do inquérito referente aos acessos ao sistema CITIUS”, conhecido por “e-toupeira”.

Pin It