Quem chegar esta segunda-feira a Portugal e vá ver as primeiras páginas dos jornais sem saber o que aconteceu este fim-de-semana poderá surpreender-se pois o Desportivo das Aves venceu o Sporting por 2-1 no Estádio Nacional e conquistou a Taça de Portugal, garantindo a presença na próxima época na fase de grupos da Liga Europa. Contudo, quem viu o jogo, percebeu que a vitória da turma da Vila das Aves acabou por ser tão natural como merecida, face a um Sporting que jogou sempre mais com o coração do que com a cabeça e que falhou nos momentos cruciais da partida.

Para este jogo, o técnico Jorge Jesus escalou uma equipa com Bas Dost enquanto titular, com Ristovski e Fábio Coentrão nos corredores laterais, Coates e Mathieu enquanto centrais, William Carvalho na posição seis num meio-campo em que também apareceram Bataglia e Acuña, sobrando para o ataque Bruno Fernandes, Gelson Martins e o já referido Bas Dost. Do outro lado, José Mota escalou um "onze" iniciado no experiente guarda-redes Quim, com a defesa formada por Nelson Lenho, Diego, Carlos Ponk e Rodrigo Soares, uma linha média de cinco elementos, com Vítor Gomes, Tissone e Braga apoiado pelos extremos Nildo Petrolina e Amilton, que foram fundamentais na forma como fecharam os corredores laterais nos momentos defensivos, apoiando o avançado Alexandre Guedes quando este teve espaço para entrar na área da baliza de Rui Patrício.

Gelson Martins, um dos elementos que mais lutou ao longo do jogo deste domingo no relvado no Estádio Nacional, viu por duas vezes o veterano guarda-redes Quim, aos 42 anos, negar-lhe o golo que parecia certo. O Sporting não marcava, e acabou por ser o Aves quem, ao minuto 16, num lance de puro contra-ataque, conseguiu adiantar-se no marcador com um golo de Alexandre Guedes, com um cabeceamento conseguido ao segundo poste a colocar a bola no buraco da agulha entre o ferra da baliza e Rui Patrício, com este a ser batido à queima-roupa. O Aves adiantava-se no marcador e levaria a vantagem tangencial até ao intervalo perante um conjunto leonino que não encontrava soluções para ultrapassar o sector mais recuado da turma da Vila das Aves sempre muito atento e bem organizado.

O Sporting ia tendo mais posse de bola mas de modo inconsequente, mesmo quando tudo indicava que até iria conseguir o golo. Bas Dost, ao minuto 53, rematou por alto após um cruzamento de Montero, e cinco minutos depois, aos 58, foi a vez de Quim defender a soco um excelente remate de Mathieu depois deste ter transformado um pontapé livre directo em zona frontal à baliza do Aves. Certo é que o Sporting não marcava e acabou mesmo por ser o Desportivo das Aves a fazer novo golo, e uma vez mais por Alexandre Guedes, ao minuto 72'. Gelson Martins teve uma perda de bola completamente infantil no seu meio-campo, permitiu que Amilton ficasse com a bola com condições para isolar Alexandre Guedes e este, depois de tirar Coates do seu caminho metendo-o completamente “no bolso”, atirou para o poste mais distante batendo Rui Patrício pela segunda-vez nesta tarde.

A cerca de vinte minutos do final, o Sporting estava agora a perder por dois golos e os adeptos do Sporting começavam mesmos a abandonar as bancadas do Jamor, um movimento que acabou por ser “travado” quando alguns adeptos começaram a arremessar cadeiras e outros objectos contra a polícia e fez com que muitos dos que iam a sair se mantivessem nos seus lugares evitando assim serem envolvidos em confusões de forma involuntária.

Bas Dost, ao minuto 80, falhou de forma clamorosa o que poderia ter sido o primeiro golo do Sporting, atirando à trave da baliza de Quim quando esta estava completamente deserta sem ninguém para lhe impedir o golo, e acabou por ser Montero quem, ao minuto 86', fez o golo para os “leões”, que ganhavam outro alento e uma renovada esperança. Todavia, nos quatro minutos finais, e nos sete que o árbitro Tiago Martins deu de compensação, o Sporting continuou incapaz de se superiorizar ao Desportivo das Aves que chegou ao final em vantagem, conquistando pela primeira vez na sua história a Taça de Portugal de futebol.

O clube da Vila das Aves passa assim a ser o 13º clube vencedor da segunda competição mais importante do futebol português, a Taça de Portugal, sucedendo assim ao Benfica que venceu na última temporada frente ao Vitória de Guimarães (2-1).

Com este triunfo, o Desportivo das Aves garante o apuramento directo para a fase de grupos da Liga Europa, competição em que poderá ter a companhia do Sporting mas também do Sporting de Braga. Por seu turno, o Rio Ave, que terminou o campeonato da I Liga na quinta posição, acaba assim por ficar fora das competições da UEFA, a que teria acesso caso os "leões" tivessem ganho a Taça de Portugal.

reportagem: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte

Pin It