×

Mensagem

Failed loading XML... Entity 'ccedil' not defined Entity 'otilde' not defined Entity 'ecirc' not defined Entity 'ccedil' not defined Entity 'atilde' not defined Entity 'ecirc' not defined Entity 'otilde' not defined Entity 'eacute' not defined Entity 'eacute' not defined

Sporting-RioAve-05O guarda-redes Rui Patrício, titular da Selecção Nacional ao serviço da qual se sagrou Campeão Europeu em França no ano passado, foi determinante para a vitória do Sporting frente ao Rio Ave , por 1-0, com um golo de Alan Ruiz ao minuto 20. E se Patricio não marcou o golo dos "leões", foi pela sua acção que os homens de Vila do Conde não conseguiram marcar qualquer golo, nomeadamente no primeiro tempo quando foi o Rio Ave quem mais fez pela vitória.

A lances de ataque consecutivos, Rui Patrício respondeu com defesas consecutivas, algumas delas de elevada dificuldade, acabando o guardião leonino por ser o grande "culpado" por as redes da sua baliza terem ficado limpas de golos até ao intervalo do jogo, altura em que o Sporting vencia já por força do golo de Alan Ruiz.

Depois do intervalo, o Sporting, que até ali tinha sido particularmente eficaz com a obtenção de um golo na única vez em que chegou com objectividade à baliza de Cássio, conseguiu corrigir alguns posicionamentos, perdendo o Rio Ave a capacidade de construção ofensiva que havia evidenciado até ao intervalo.

Refira-se que um possível resultado menos positivo para o Sporting teria colocado o técnico Jorge Jesus em maus lençois, isto porque voltou a mexer na estrutura da equipa leonina chamando ao "onze" titular Jefferson e Paulo Oliveira, com Bruno César como médio-ala. Ruben Semedo e Bryan Ruiz ficaram ambos no banco de suplentes, ao lado de elementos como Podence, Esgaio, Castaignos ou Palhinha, numa jornada em que o jovem Francisco Geraldes voltou a "desaparecer" das escolhas do treinador do Sporting, relegado para a equipa B de Alvalade.

Sporting-RioAve-01Sporting-RioAve-04Sporting-RioAve-02Sporting-RioAve-06

Do lado do Rio Ave, Luís Castro montou uma equipa atrevida e ousada e não fosse Rui Patrício teria mesmo conseguido certamente sucesso na sua estratégia. Para além de Cássio, Lionn, Marcelo, Roderick e Rafa Soares como quarteto defensivo, atrás de um meio-campo experiente com Tarantini, Pedro Moreira e o sempre veloz Krovinovic no apoio a Gil Dias, Gonçalo Paciência e Rúben Ribeiro, o conjunto de Vila do Conde fez tudo o que pôde enquanto teve pulmão, acabando por cair no nível de produção na segunda metade da partida. Gonçalo Paciência desapareceu muito cedo, Krovinovic perdeu a capacidade de surpreender a linha defensiva da equipa da casa e esta corrigiu as posições tapando os corredores que permitiu até ao intervalo.

Na única oportunidade que construiu no primeiro tempo, num lance iniciado por William Carvalho, Alan Ruiz faturou o golo decisivo. Depois, no segundo tempo, o Rio Ave perdeu objectividade e capacidade de encontrar soluções, e aí sim o Sporting mostrou-se merecedor da conquista dos três pontos face a um adversário que, nos segundos 45 minutos, raramente incomodou Rui Patrício, ele que terá sido ainda assim o homem do jogo pelas defesas de extrema qualidade que efectuou.

Três notas neste jogo, a primeira das quais para a lesão de Adrien Silva que o obrigou a deixar as quatro linhas de maca, a segunda para o golo invalidado a Roderick Miranda, o central do Rio Ave, sobre o minuto 90, por fora-de-jogo, num lance em que o jogador da turma de Vila do Conde ainda colocou a bola no fundo das redes da baliza de Rui Patrício, mas fazendo-o a partir de posição irregular, e a terceira nota para o facto de Rui Patrício ter cumprido nesta partida o jogo 400 com a camisola dos "leões".

Acabou assim o Sporting por garantir uma vitória em Alvalade que acabou por ser tão preciosa quanto merecida, num jogo que fica marcado pela soberba exibição de Rui Patrício até ao intervalo, quando se revelou determinante para a forma como os "leões" chegaram ao final da partida sem sofrerem golos.

texto: Jorge Reis
fotos: reprodução ©Twitter 

Pin It