Pela primeira vez em sete anos, o Sporting permitiu que outra equipa conseguisse conquistar o Troféu Cinco Violinos, prova que o clube de Alvalade tem vindo a organizar como prova do início de temporada que este ano colocou o Sporting frente aos italianos do Empoli. O Sporting marcou primeiro, o conjunto visitante empatou o jogo que terminou com o equilíbrio no marcador (1-1), e no desempate através das grandes penalidades, depois da primeira série de cinco pénaltis terminar com novo empate (4-4), o lateral brasileiro Jefferson falhou a sua grande penalidade, respondendo Rasmussen com a eficácia na marcação do seu pénalti para o triunfo do conjunto do Empoli.

Em termos práticos, o Sporting de José Peseiro, num final de tarde de calor extremo que obrigou o jogo a duas paragens em cada um dos períodos do jogo “para hidratação” dos jogadores, permitiu ao conjunto de Alvalade apresentar-se perante os poucos mais de 20 mil adeptos que assistiram a este jogo com um "onze" que poderá ser o melhor possível que Peseiro poderá construir neste início de época com os trunfos que tem ao seu dispor.

Com Emiliano entre os postes, ele que aqui e ali continuou a dar conta de algum posicionamento deficiente que só não lhe trouxe dissabores porque os homens do Empoli não primaram pela eficácia, a turma leonina surgiu também com Ristovski, Mathieu, Coates e Jefferson na linha defensiva, Battaglia e Misic na linha média, e três homens — Nani, Bruno Fernandes e Acuña — no apoio a Bas Dost.

O problema para o Sporting é que, mesmo com aquele que em teoria se apresentará como o seu melhor "onze", a eficácia não surgiu, os automatismos ainda estão longe de estarem concluídos e a qualidade do jogo esteve uns quantos furos abaixo do que se poderia esperar. Bas Dost tem ainda que recuperar um ritmo a que nos habituou, Nani terá que voltar a ser aquele jogador que no passado esteve entre os melhores na sua posição justificando a chamada à Selecção Nacional, e em termos globais o Sporting terá ainda muito trabalho pela frente para concretizar.

Dos lances que ficaram na retina, um toque de calcanhar de Bas Dost que poderia ter rendido o primeiro golo não fosse o facto do holandês estar à frente da linha defensiva do Empoli, aos 12 minutos, também um cabeceamento do mesmo Bas Dost, ao minuto 38, que levou a bola a passar por cima da trave da baliza da turma visitante, e ainda, uma vez mais por Bas Dost, uma oportunidade que este teve para rematar à baliza do empoli, ao minuto 41, que levou a bola a passar também aqui acima do travessão da baliza à guarda de Pietro Terracciano.

O jogo foi para o intervalo ainda sem golos, no reatamento o Empoli trocou de guarda-redes, com a entrada de Ivan Provedel por troca com Terracciano, e o Sporting acabaria mesmo por marcar, ao minuto 51, através de Misic que rematou forte e colocado, da zona da meia-lua, para o primeiro golo do jogo. Num jogo lento e com poucos motivos de interesse, o Sporting passava assim para a frente do marcador perante um Empoli que acordou e foi atrás do prejuízo. Ao minuto 58, Traoré ainda colocou a bola no funda da baliza do Sporting, num golo anulado por suposto fora-de-jogo que o auxiliar de Carlos Xistra descortinou, mas o golo dos italianos só chegou mesmo ao mito 68, por Gumina, ele que, isolado, teve tempo e espaço para fazer o golo e bater Emiliano num remate ao poste mais distante, isto que o Sporting já estava a jogar com um "onze" diferente, depois de terem entrado no jogo Matheus Pereira, Raphinha, Wendel e Bruno Gaspar, por troca com Ristovski, Acuña, Nani e Misic.

O Sporting não conseguiu recuperar o domínio do jogo, o Empoli só não fez o segundo golo porque Mathieu chutou uma bola em cima da linha de baliza quando Emiliano já estava batido, ao minuto 82, e apenas em cima do minuto 80 os "leões" tiveram uma oportunidade para marcar, num lance em que Battaglia cabeceou para o golo, desviando o guarda-redes Provedel para o poste da sua baliza.

Perante o empate, a conquista do Troféu Cinco Violinos teve que ser decidida através da lotaria das grandes penalidades, acabando o Empoli por ser mais eficaz e desse modo levar para Itália o troféu que presta homenagem aos Cinco Violinos do clube leonino, Jesus Correia, Vasques, Peyroteo, Travassos e Albano, eles que na década de 40 do século passado encantaram os adeptos do Sporting e deixaram marca de qualidade inegável no futebol português.

Termina assim o Sporting com uma derrota, ainda que nas grandes penalidades, a sua pré-temporada, isto numa altura em que o próximo jogo do conjunto às ordens de José Peseiro deverá acontecer no próximo fim-de-semana, em Moreira de Cónegos, perante o Moreirense, na primeira jornada do campeonato da I Liga. Até lá, tudo indica que não se deverão esperar grandes reforços para o grupo de trabalho do Sporting, faltando apenas saber se o presidente da SAD dos leões, José Sousa Cintra, conseguirá a contratação do argelino Slimani para o ataque. Se o conseguir, Bas Dost terá um excelente aliado na frente de ataque e os adeptos sportinguistas sem dúvida que irão agradecer.

texto: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte

Pin It