O FC Porto garantiu esta terça-feira, em Braga, a presença no jogo da final da Taça da Liga, no próximo sábado, depois de ter ganho esta noite frente ao Sport Lisboa e Benfica por 3-1, com golos de Brahimi (24'), Marega (35') e Fernando Andrade (86'), para o FC Porto, tendo Rafa Silva (31') marcado o golo dos "encarnados".

Num jogo marcado por muita polémica por força de alguns erros de arbitragem, com avaliações menos conseguidas por parte do VAR, Fábio Veríssimo, a turma portista justificou o triunfo com uma segunda parte em que foi mais eficaz, face a um Benfica que pecou nas alterações impostas pelo técnico Bruno Lage que não trouxeram nada de novo ao jogo das “águias”. Gedson entrou para o lugar de Gabriel ressentindo-se a linha média do Benfica pela menor capacidade de ter bola e sair para o ataque de forma consequente, mas também Castillo que entrou por troca com Pizzi e Sálvio que trocou André Almeida, procurando o Benfica jogar com três defesas e o argentino Toto Sálvio a fazer todo o corredor direito, a verdade é que nada disto trouxe melhor futebol ao Benfica.

Ao invés, o FC Porto tirou sempre o melhor partido das alterações impostas por Sérgio Conceição, com Tiquinho Soares a entrar para o lugar de André Pereira refrescando o ataque, ainda Bruno Costa a entrar para o lugar de Corona conseguindo o FC Porto agarrar mais o meio-campo quando o Benfica procurava pressionar a linha defensiva dos “dragões”, e também Fernando Andrade que entrou para o último quarto-de-hora de jogo, por troca com um esgotado Brahimi, acabando este reforço de Inverno do FC Porto por conseguir, ele mesmo, o terceiro golo da turma azul-e-branca quando o Benfica corria na busca do empate.

Os erros da equipa de arbitragem liderada por Carlos Xistra, e em particular do VAR Fábio Veríssimo, foram evidentes, curiosamente com o primeiro erro a acontecer logo aos nove minutos quando ficou por assinalar uma grande penalidade favorável ao FC Porto por falta cometida sobre Corona. Depois disso, o primeiro golo do FC Porto deveria ter sido anulado, já que é precedido de uma falta de Oliver sobre Gabriel, tendo sido anulado um golo ao Benfica já nos minutos de compensação do primeiro tempo, por suposto fora-de-jogo tirado ao atauqe do Benfica de forma errada.

Num lance de transição ofensiva para o Benfica, a turma encarnada surgiu com três homens no ataque contra dois defesas portistas fazendo o golo mal anulado pelo VAR Fábio Veríssimo que, curiosamente, já antes havia dado indicação para anular o primeiro golo do Benfica alegando que Seferovic teria dominado a bola com o braço, o que de facto não aconteceu já que o suíço recebeu a bola no peito antes de fazer o primeiro remate para uma recarga de Rafa Silva a dar o golo da turma benfiquista.

SLB FCP TacaLiga 02

No segundo tempo, e à margem dos erros de arbitragem, sem sabermos como teria agido o Benfica se tivesse entrado em campo empatada e tendo assim que correr em busca do prejuízo, acabou por ser o FC Porto quem jogou melhor e conseguiu ser mais eficaz e mais fria nos momentos do jogo em que precisou de defender a vantagem, perante um Benfica que na segunda metade da partida não conseguiu manter o equilíbrio no jogo. O FC Porto segue para a final da Taça da Liga, devendo jogar no próximo sábado frente ao vencedor do jogo de amanhã entre o Sporting Clube de Braga e o Sporting Clube de Portugal.

No final do jogo, em declarações aos jornalistas presentes no Municipal de Braga, o presidente do Benfica teceu duras críticas à prestação do VAR Fábio Veríssimo, reclamando mesmo que este tenha que ser afastado da arbitragem por considerar o presidente do Benfica que aquele juíz não tem condições para continuar no seio da arbitragem.

© Jorge Reis | LusoGolo

Pin It