×

Mensagem

Failed loading XML... Entity 'aacute' not defined Entity 'ccedil' not defined Entity 'ecirc' not defined Entity 'aacute' not defined Entity 'ccedil' not defined Entity 'eacute' not defined Entity 'aacute' not defined Entity 'ecirc' not defined Entity 'aacute' not defined

O FC Porto garantiu esta terça-feira, em Braga, a presença no jogo da final da Taça da Liga, no próximo sábado, depois de ter ganho esta noite frente ao Sport Lisboa e Benfica por 3-1, com golos de Brahimi (24'), Marega (35') e Fernando Andrade (86'), para o FC Porto, tendo Rafa Silva (31') marcado o golo dos "encarnados".

Num jogo marcado por muita polémica por força de alguns erros de arbitragem, com avaliações menos conseguidas por parte do VAR, Fábio Veríssimo, a turma portista justificou o triunfo com uma segunda parte em que foi mais eficaz, face a um Benfica que pecou nas alterações impostas pelo técnico Bruno Lage que não trouxeram nada de novo ao jogo das “águias”. Gedson entrou para o lugar de Gabriel ressentindo-se a linha média do Benfica pela menor capacidade de ter bola e sair para o ataque de forma consequente, mas também Castillo que entrou por troca com Pizzi e Sálvio que trocou André Almeida, procurando o Benfica jogar com três defesas e o argentino Toto Sálvio a fazer todo o corredor direito, a verdade é que nada disto trouxe melhor futebol ao Benfica.

Ao invés, o FC Porto tirou sempre o melhor partido das alterações impostas por Sérgio Conceição, com Tiquinho Soares a entrar para o lugar de André Pereira refrescando o ataque, ainda Bruno Costa a entrar para o lugar de Corona conseguindo o FC Porto agarrar mais o meio-campo quando o Benfica procurava pressionar a linha defensiva dos “dragões”, e também Fernando Andrade que entrou para o último quarto-de-hora de jogo, por troca com um esgotado Brahimi, acabando este reforço de Inverno do FC Porto por conseguir, ele mesmo, o terceiro golo da turma azul-e-branca quando o Benfica corria na busca do empate.

Os erros da equipa de arbitragem liderada por Carlos Xistra, e em particular do VAR Fábio Veríssimo, foram evidentes, curiosamente com o primeiro erro a acontecer logo aos nove minutos quando ficou por assinalar uma grande penalidade favorável ao FC Porto por falta cometida sobre Corona. Depois disso, o primeiro golo do FC Porto deveria ter sido anulado, já que é precedido de uma falta de Oliver sobre Gabriel, tendo sido anulado um golo ao Benfica já nos minutos de compensação do primeiro tempo, por suposto fora-de-jogo tirado ao atauqe do Benfica de forma errada.

Num lance de transição ofensiva para o Benfica, a turma encarnada surgiu com três homens no ataque contra dois defesas portistas fazendo o golo mal anulado pelo VAR Fábio Veríssimo que, curiosamente, já antes havia dado indicação para anular o primeiro golo do Benfica alegando que Seferovic teria dominado a bola com o braço, o que de facto não aconteceu já que o suíço recebeu a bola no peito antes de fazer o primeiro remate para uma recarga de Rafa Silva a dar o golo da turma benfiquista.

SLB FCP TacaLiga 02

No segundo tempo, e à margem dos erros de arbitragem, sem sabermos como teria agido o Benfica se tivesse entrado em campo empatada e tendo assim que correr em busca do prejuízo, acabou por ser o FC Porto quem jogou melhor e conseguiu ser mais eficaz e mais fria nos momentos do jogo em que precisou de defender a vantagem, perante um Benfica que na segunda metade da partida não conseguiu manter o equilíbrio no jogo. O FC Porto segue para a final da Taça da Liga, devendo jogar no próximo sábado frente ao vencedor do jogo de amanhã entre o Sporting Clube de Braga e o Sporting Clube de Portugal.

No final do jogo, em declarações aos jornalistas presentes no Municipal de Braga, o presidente do Benfica teceu duras críticas à prestação do VAR Fábio Veríssimo, reclamando mesmo que este tenha que ser afastado da arbitragem por considerar o presidente do Benfica que aquele juíz não tem condições para continuar no seio da arbitragem.

© Jorge Reis | LusoGolo

Pin It