Entre as várias homenagens já feitas aos que combateram e ainda combatem a Covid19 há agora mais uma, editada em livro a partir de aguarelas realizadas em tempos de pandemia reunidas em livro. Os “guerreiros” que se mantiveram na linha da frente e fizeram com que a vida continuasse a acontecer durante o período de confinamento foram a fonte de inspiração para que o projeto que se materializa agora em livro.

Mais do que um agradecimento, Obrigado surge assim como uma homenagem aos grupos de profissionais que se destacaram na batalha Covid-19, a reunião de 20 aguarelas criadas por Pedro de Sousa Araújo e patrocinadas por João Mata Corretores e Consultores de Seguros, pinturas que que retratam a nova realidade quotidiana dos profissionais que nunca deixaram de trabalhar. Com esta iniciativa, João Mata e o autor pretendem também apoiar a cultura e juntar esforços para preparar o futuro.

Sobre este projecto, foi logo no início do período de confinamento em Portugal que teve a sua origem. Nascido no seio familiar, o desafio foi lançado a Pedro de Sousa Araújo por uma das suas filhas: “Durante um almoço em família, conversávamos sobre as dificuldades que todos os que continuavam a trabalhar estavam a enfrentar. Não eram só os profissionais de saúde que se mantinham na linha da frente: para nos podermos manter em casa, em segurança, havia uma série de outros profissionais que continuavam.”

De acordo com Pedro de Sousa Araújo, pintor e autor das 20 aguarelas este Obrigado vai para todos aqueles que não pararam perante a pandemia. “Os professores não pararam, as farmácias e papelarias não fecharam, o lixo foi recolhido todos os dias… a vida continuou e foi graças ao esforço, dedicação e coragem de todos estes profissionais”, afirma o pintor que, de imediato aceitou o desafio de retratar a nova realidade que se revelava todos os dias.

Foram as situações do dia-a-dia e as pessoas que marcavam presença no quotidiano de Pedro de Sousa Araújo que serviram de inspiração ao trabalho. O pintor retrata deste modo situações que experienciou e transportou para os seus diários gráficos, a vida que se viveu todos os dias nas ruas.

Professores Tele Escola

Quem comentou esta iniciativa foi Maria João Mata, afinal uma das responsáveis pela projecção da mesma: “Quando vi as primeiras aguarelas do Pedro de Sousa Araújo senti que eram verdadeiras obras de arte que retratavam momentos que se vão tornar históricos e que mais tarde nos farão recordar os dias difíceis que todos vivemos”. Segundo a CEO da João Mata Corretores e Consultores de Seguros, estamos perante “trabalhos de grande qualidade, beleza e sensibilidade que não podiam ficar reservados a um núcleo restrito, por isso decidimos apoiar e incentivar o projeto, através da edição de um livro que reúne as 20 aguarelas criadas pelo Pedro”.

Com edição limitada, numerada e assinada pelo autor, Obrigado será oferecido a amigos, parceiros e representantes das classes profissionais retratadas. “Com esta iniciativa pretendemos também endereçar uma mensagem de esperança e incentivar a área da cultura em Portugal”, acrescenta Maria João Mata para quem “mesmo pequenos gestos como este são importantes para apoiar os artistas portugueses e, tal como o Pedro refere no prefácio do livro, esperamos que a sua publicação represente, simbolicamente, um firme acordar para um futuro melhor”.

Quem é Pedro de Sousa Araújo?

Artista plástico nascido em Lisboa em 1960, Pedro de Sousa Araújo começou a pintar com 32 anos.  Autodidata por natureza, profissionalizou a sua atividade em 2001 após o final do curso de pintura do Ar.Co.  Com uma carreira totalmente independente, Pedro de Sousa Araújo colabora regularmente com algumas galerias de arte nacionais.

Em 2010 inaugura o seu próprio atelier, uma espécie de laboratório experiencial de ideias onde pode ser vista toda a sua obra para além de protótipos de instalações do artista.

João Mata – Corretores e Consultores de Seguros... o suporte!

Com 48 anos de atividade, João Mata é um dos principais corretores e consultores de seguros em Portugal. Sediada em Lisboa e com escritórios no Porto e Viseu, a João Mata é uma empresa de capitais 100% nacionais, totalmente independente, possuidora de uma forte presença internacional e uma equipa de 43 colaboradores através dos quais a João Mata gere atualmente uma carteira de seguros de mais 31 milhões de euros em prémios.

LusoNotícias

Pin It