Director da Galeria de Arte do Casino Estoril desde 1975 até à presente data e membro do Júri dos Prémios Estoril Sol, designadamente o “Prémio Vasco Graça Moura — Cidadania Cultural”, “Prémio Literário Fernando Namora” e “Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís”, faleceu esta quinta-feira aos 86 anos Nuno Lima de Carvalho. Ligado à Estoril Sol nas últimas quatro décadas, entidade ao serviço da qual desempenhou funções de carácter administrativo, Lima de Acarvalho pôde ainda desenvolver e produzir relevantes iniciativas nas áreas do Turismo, Cultura, Arte e Espectáculos, bem como da Literatura, do Jornalismo e até da Gastronomia, tendo estado ainda ligado a outros sectores de actividades de cariz social e hu­mano.

Nascido a 15 de Junho de 1932, em Vila Franca do Lima, Viana do Castelo, Nuno Lima de Carvalho era licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa e Filosofia e Letras pela Universidade de Salamanca, tendo sido Secretário-Geral da Estoril Sol durante cerca de duas dezenas de anos e Director de Relações Exteriores da mesma empresa. Director de Serviços na União de Grémios dos Espectáculos entre 1956 e 1971, Secretário da Administração da Estoril-Sol entre 1971 e 1976, Secretário-Geral da Estoril-Sol desde 1976 a 2002 e Presidente da Assembleia-Geral da Casa do Minho em Lisboa entre 1987 e 1992, Nuno Lima de Carvalho foi ainda fundador da Confraria dos Gastrónomos do Minho, de que foi Mordomo-Mor, durante 23 anos.

Durante mais de quatro décadas na Estoril Sol, Lima de Carvalho desenvolveu uma importante acção nas áreas da animação cultural, artística e de lazer. Quando assumiu a direcção da Galeria de Arte do Casino Estoril, procurou transformar este espaço numa rampa de lançamento para artistas jovens, conseguindo que esta galeria se assumisse como uma das que mais tem feito nessa área de missão, através dos Salões de Primavera, iniciativa que leva já 34 edições.

NunoLimadeCarvalho01

NunoLimadeCarvalho03

Nuno Lima de Carvalho foi também responsável pela realização de outras grandes exposições colectivas como os Salões de Outono, que contam já com 34 edições, e os Salões Internacionais de Pintura Naïf, com 38 edições. Promoveu, com Isabelino Coelho, a criação do Museu de Arte Primitiva Moderna de Guimarães, e a representação portuguesa no Museu Internacional de Pintura Naïf de Jaen, Espanha. Organizou, ainda, as quatro edições do Prémio Edinfor de Escultura.

Tendo coordenado seis grandes Salões Nacionais de Artesanato, diversas Semanas Culturais e Gastronómicas de todas as regiões do País — Minho, Trás-os-Montes, Douro, Beiras, Oeste, Ribatejo, Alentejo, Açores e Madeira —, além da realização de Semanas Culturais e Gastronómicasde âmbito internacional — Bahia, Itália, Moçambique, Angola, Macau, Galiza e Áustria —, Lima de Carvalho, por ocasião das Comemorações dos 500 Anos do Descobrimento do Brasil, pôde ainda organizar a exposição Humor Luso–Brasileiro, com a participação de sete dos mais qualificados cartoonistas portugueses e igual número de cartoonistas brasileiros. 

Promotor da criação do Prémio Literário Fernando Namora, foi editorialista do jornal “A Voz” durante três anos e colaborador da imprensa regional, sendo possível encontrar diversos trabalhos que publicou sobre Turismo, Artes Plásticas, Artesanato e Gastronomia.

Amigo pessoal de grandes escritores e artistas brasileiros, como Fáfá de Belém, Caribé, João Ubaldo Ribeiro, Jorge Amado e Zelia Gattai, entre outros, serviu mesmo de inspiração para algumas personagens de livros destes autores que acabaram, também, por citá-lo em várias obras.

NunoLimadeCarvalho JorgeAmado

NunoLimadeCarvalho LicinioCunha

Dotado de uma invulgar cultura geral, muito acima da média, Nuno Lima Carvalho tinha conhecimentos ecléticos e profundos em áreas tão variadas como a gastronomia, a arte, a música ou a museologia. Muito amigo do seu amigo, de personalidade forte, era reconhecido como um homem leal, honesto e com carácter vertical, tendo acreditado sempre nos talentos que frequntemente descobria, apoiava e promovia, com isso divulgando a cultura, a arte e a literatura portuguesa a nível internacional.

Nuno Lima de Carvalho foi distinguido com o Grau de Oficial da Ordem Infante D. Henrique, atribuição do então Presidente da República General Ramalho Eanes, tendo ainda recebido a Comenda da Ordem de Mérito Civil de Espanha, atribuição do Rei Don Juan Carlos. Era ainda Comendador da Ordem de Mérito Pêro Vaz de Caminha, no Brasil, também Cidadão de Mérito de Cascais, Cidadão de Mérito de Viana do Castelo, Cidadão Soteropolitano da cidade de Salvador da Bahia, Brasil, tendo recebido o diploma e insígnias em cerimónia presidida por Mário Soares, na sua última visita ao Brasil como Presidente da República. Esta cerimónia contou ainda com a presença de António Carlos de Magalhães, Presidente do Senado do Brasil e antigo governador do Estado da Bahia, bem como do poeta e escritor Jorge Amado e outras personalidades. Em termos de condecorações e reconhecimentos, Lima de Carvalho recebeu ainda a Medalha de Prata de Mérito Turístico, atribuída pelo Ministro da Economia, Carlos Tavares, bem como o Troféu “Consagração”, atribuído pela AJOPT – Associação de Jornalistas Portugueses de Turismo.

O velório de Nuno Lima de Carvalho será ralizado esta sexta-feira, a partir das 19 horas, na Igreja de Caselas, de onde sairá o funeral no Sábado, logo depois da Missa de Corpo Presente, às 12h30, seguindo o féretro para o crematório de Cascais, em Alcabideche (14 horas).

Pin It